Gostou do artigo? Compartilhe!

Natal e férias de verão associados a maior risco de infarto agudo do miocárdio: dados do estudo SWEDEHEART

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O estudo observacional retrospectivo1 SWEDEHEART, usando o registro nacional de unidade coronariana, realizado na Suécia, analisou a influência de aspectos do ritmo circadiano2, feriados nacionais e grandes eventos esportivos como fatores desencadeantes do infarto do miocárdio3.

Foram comunicados 283.014 casos de infarto do miocárdio3 ao SWEDEHEART entre 1998 e 2013. A data do início do sintoma4 foi documentada em todos os casos e o tempo até o minuto mais próximo em 88% dos casos.

Infartos do miocárdio5 com início dos sintomas6 nos feriados de Natal / Ano Novo, Páscoa e verão foram identificados. Da mesma forma, foram identificados os infartos do miocárdio5 que ocorreram durante uma Copa do Mundo da FIFA, Liga dos Campeões da UEFA e Jogos Olímpicos de inverno e verão.

As duas semanas antes e depois de um feriado foram definidas como um período de controle, e para eventos esportivos o período de controle foi definido para a mesma hora um ano antes e depois do torneio. Análises de ritmos circadiano e circaseptano7 foram realizadas aos domingos e às 00:00 como dia e hora de referência com os quais todos os outros dias e horas foram comparados. As taxas de incidência8 foram calculadas usando um modelo de regressão de contagem. O desfecho primário foi a contagem diária de infartos do miocárdio5.

Natal e férias de verão foram associados a um maior risco de infarto do miocárdio3. O maior risco associado foi observado para a véspera de Natal (p<0,001).

Nenhum risco aumentado foi observado durante o feriado da Páscoa ou eventos esportivos. Observou-se variação circadiana e circaseptana no risco de infarto do miocárdio3, com maior risco no início da manhã e nas segundas-feiras. Os resultados foram mais pronunciados em pacientes com idade acima de 75 anos e naqueles com diabetes9 e história de doença arterial coronariana.

Neste estudo nacional sueco, cobrindo 16 anos de internações por infarto do miocárdio3, com início dos sintomas6 documentados até o minuto mais próximo, o feriado de Natal e as férias de verão foram associados com maior risco de infarto do miocárdio3, particularmente em pacientes idosos e mais doentes, sugerindo um papel de gatilhos externos em indivíduos vulneráveis.

Saiba mais sobre "Infarto do miocárdio3" e "Doença arterial coronariana".

 

Fonte: The British Medical Journal, em 12 de dezembro de 2018.

 

NEWS.MED.BR, 2018. Natal e férias de verão associados a maior risco de infarto agudo do miocárdio: dados do estudo SWEDEHEART. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1330988/natal-e-ferias-de-verao-associados-a-maior-risco-de-infarto-agudo-do-miocardio-dados-do-estudo-swedeheart.htm>. Acesso em: 20 jan. 2019.

Complementos

1 Retrospectivo: Relativo a fatos passados, que se volta para o passado.
2 Ritmo circadiano: Também conhecido como ciclo circadiano, o ritmo circadiano representa o período de um dia (24 horas) no qual se completam as atividades do ciclo biológico dos seres vivos. Uma das funções deste sistema é o ajuste do relógio biológico, controlando o sono e o apetite. Através de um marca-passo interno que se encontra no cérebro, o ritmo circadiano regula tanto os ritmos materiais quanto os psicológicos, o que pode influenciar em atividade como: digestão em vigília, renovação de células e controle de temperatura corporal.
3 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
4 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Circaseptano: É tipo de biorritmo que parece revelar que o Ritmo do Sétimo Dia é um mecanismo normal existente na fisiologia de organismos vivos. Alguns cronobiologistas acreditam que esse tipo de biorritmo – o do sétimo dia – pode revelar que os organismos precisam de uma certa pausa como um estímulo para seguirem vivendo. Já foi estudado que ele possa alterar os batimentos cardíacos, a produção de hormônios esteroides, a retenção de líquidos no organismo, dentre outras funções fisiológicas.
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
Gostou do artigo? Compartilhe!