Gostou do artigo? Compartilhe!

Nature: lapsos neuronais seletivos precedem os lapsos cognitivos humanos após privação do sono

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisadores norte-americanos e israelenses publicaram na revista Nature que a privação de sono pode levar a lapsos cognitivos1 e que estes são precedidos por lapsos neuronais, já que as respostas de propagação seletiva de neurônios2 individuais no lobo temporal3 médio (MTL) são atenuadas, atrasadas e alongadas com a falta de sono.

A privação do sono é uma importante fonte de morbidade4 com efeitos generalizados para a saúde5, incluindo aumento do risco de hipertensão6, diabetes7, obesidade8, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral9. Além disso, a privação do sono leva à maior ocorrência de acidentes de trânsito e erros médicos e, portanto, é um tópico10 urgente para investigação. Durante a privação do sono, a falta de sono reduz a capacidade de funcionamento neuronal, causando lapsos cognitivos1. Isso prejudica a forma como percebemos e reagimos ao que acontece ao nosso redor.

Recentemente, através do estudo de eletroencefalogramas (EEGs) em seres humanos e potenciais de campo locais (LFPs) em primatas não humanos e roedores, verificou-se que, durante a privação do sono, as ondas regionais de sono lento e theta (lento/theta) ocorrem com desempenho comportamental prejudicado durante a vigília.

Neste trabalho, os pesquisadores utilizaram eletrodos intracranianos para registrar atividades de neurônios2 únicos e LFPs em pacientes neurocirúrgicos humanos que realizaram uma tarefa de vigilância psicomotora11 de categorização face12/nonface (PVT) em várias sessões experimentais, incluindo uma sessão após uma noite completa de privação de sono. Descobriu-se que, logo antes das falhas cognitivas, as respostas de propagação seletiva de neurônios2 individuais no lobo temporal3 médio (MTL) são atenuadas, atrasadas e alongadas. Além disso, durante os lapsos cognitivos1, os LFPs exibem um aumento relativo local na atividade lenta/theta que está correlacionada com as respostas degradadas de neurônio único e com atividade teta basal.

Os resultados mostram que os lapsos cognitivos1 envolvem mudanças locais dependentes do estado na atividade neuronal já presentes no lobo temporal3 médio (MTL).

Leia sobre "Ciclos do sono", "Insônia" e "Polissonografia13".

 

Fonte: Nature Medicine, publicação online, em 6 de novembro de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Nature: lapsos neuronais seletivos precedem os lapsos cognitivos humanos após privação do sono. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1306838/nature-lapsos-neuronais-seletivos-precedem-os-lapsos-cognitivos-humanos-apos-privacao-do-sono.htm>. Acesso em: 15 nov. 2019.

Complementos

1 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
2 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
3 Lobo temporal:
4 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
7 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
8 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
9 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
10 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
11 Psicomotora: Própria ou referente a qualquer resposta que envolva aspectos motores e psíquicos, tais como os movimentos corporais governados pela mente.
12 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
13 Polissonografia: Exame utilizado na avaliação de algumas das causas de insônia.
Gostou do artigo? Compartilhe!