Gostou do artigo? Compartilhe!

Férias de verão podem colaborar para o ganho de peso infantil, segundo estudo publicado pelo periódico Obesity

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Com o objetivo de avaliar a importância relativa dos fatores de risco escolares e não-escolares na obesidade1 infantil, este estudo estimou se a prevalência2 de sobrepeso3 e obesidade1 cresce mais rapidamente durante o ano letivo ou durante as férias de verão, concluindo que a prevalência2 da obesidade1 infantil, nos EUA, cresce somente durante as férias de verão.

No Early Childhood Longitudinal Study, uma amostra nacionalmente representativa de 18.170 crianças americanas foi acompanhada desde o jardim de infância em 2010 até a segunda série em 2013. O peso e a altura das crianças foram medidos nas escolas em cada outono e em cada primavera. Um modelo de crescimento multinível foi utilizado para estimar o crescimento do índice de massa corporal4 (IMC5) médio, a prevalência2 de sobrepeso3 e a prevalência2 de obesidade1 durante cada verão e a cada ano letivo.

Saiba mais sobre "Obesidade1" e "Cálculo6 do IMC5".

Desde o jardim de infância até o segundo ano, a prevalência2 de obesidade1 aumentou de 8,9% para 11,5% e a prevalência2 de sobrepeso3 aumentou de 23,3% para 28,7%. Todo o aumento da prevalência2 ocorreu durante as duas férias de verão. Nenhum aumento ocorreu durante nenhum dos três anos escolares.

Concluiu-se que o risco de obesidade1 é maior quando as crianças estão fora da escola do que quando estão na escola.

Veja também o artigo: "Meu filho está fora do peso ideal. O que fazer?".

 

Fonte: Obesity, volume 24, número 11, de novembro de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Férias de verão podem colaborar para o ganho de peso infantil, segundo estudo publicado pelo periódico Obesity. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1284033/ferias-de-verao-podem-colaborar-para-o-ganho-de-peso-infantil-segundo-estudo-publicado-pelo-periodico-obesity.htm>. Acesso em: 18 nov. 2019.

Complementos

1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
3 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
4 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
5 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
6 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!