Gostou do artigo? Compartilhe!

Efeitos da dieta Mediterrânea, rica em gordura vegetal, sobre o peso corporal e circunferência abdominal: análise de resultados do ensaio clínico PREDIMED

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Por causa da alta densidade de gordura1, dietas ricas em gorduras são tidas como susceptíveis de conduzir a um aumento de peso corporal, portanto, os profissionais de saúde2 estão relutantes em recomendá-las a indivíduos com sobrepeso3 ou obesos. Foram avaliados os efeitos em longo prazo de três tipos de dietas mediterrâneas: ad libitum (à vontade), com alto teor de gorduras e com alta concentração de gordura1 vegetal sobre o peso corporal e a circunferência da cintura, em pessoas idosas, em risco de doença cardiovascular - maioria obesa ou com sobrepeso3.

O ensaio clínico, randomizado4 e controlado, conhecido como PREDIMED, foi realizado em centros de cuidados primários afiliados a onze hospitais da Espanha. Cerca de 7500 homens assintomáticos (com idades entre 55 a 80 anos) e mulheres (com idades entre 60 a 80 anos), que tinham diabetes tipo 25 ou três ou mais fatores de risco cardiovasculares, foram aleatoriamente randomizados (1:1:1) por uma sequência de números gerados por computador e distribuídos em uma de três intervenções: dieta Mediterrânea6 suplementada com azeite de oliva extra-virgem (n=2.543); dieta mediterrânea6 suplementada com castanhas (n=2.454) ou uma dieta controle (recebendo aconselhamento para reduzir a gordura1 dietética; n=2.450). A restrição energética não foi informada, nem a atividade física foi promovida. Nesta análise do estudo, foram medidos o peso corporal e a circunferência da cintura no início do estudo e anualmente durante cinco anos na população em intenção de tratar.

Após uma mediana de 4,8 anos de acompanhamento, os participantes dos três grupos tinham marginalmente reduzido o peso corporal e aumentado a circunferência da cintura. A diferença ajustada em cinco anos de mudança no peso corporal na dieta Mediterrânea6 com o grupo do azeite foi -0,43 kg (IC 95% -0,86 a -0,01; p=0,044) e no grupo das castanhas era -0,08 kg (-0,50-0,35; p=0,730), em comparação com o grupo controle. A diferença ajustada em cinco anos de mudança na circunferência da cintura foi -0,55 cm (-1,16 a -0,06; p=0,048) na dieta Mediterrânea6 com o grupo azeite de oliva e -0,94 cm (-1,60 a -0,27; p=0,006) no grupo castanhas, em comparação com o grupo controle.

Uma intervenção de longo prazo, sem restrição calórica, com dieta Mediterrânea6 com alto consumo de gordura1 vegetal foi associada à diminuição do peso corporal e menor ganho de adiposidade central em comparação com uma dieta controle. Estes resultados dão suporte à não restrição de gorduras saudáveis para a manutenção do peso corporal.

 

Fonte: The Lancet Diabetes7 & Endocrinology, publicação online, de 6 de junho de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. Efeitos da dieta Mediterrânea, rica em gordura vegetal, sobre o peso corporal e circunferência abdominal: análise de resultados do ensaio clínico PREDIMED. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1265184/efeitos-da-dieta-mediterranea-rica-em-gordura-vegetal-sobre-o-peso-corporal-e-circunferencia-abdominal-analise-de-resultados-do-ensaio-clinico-predimed.htm>. Acesso em: 17 set. 2019.

Complementos

1 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
4 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
5 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
6 Dieta Mediterrânea: Alimentação rica em carboidratos, fibras, elevado consumo de verduras, legumes e frutas (frescas e secas) e pobre em ácidos graxos saturados. É recomendada uma ingestão maior de gordura monoinsaturada em decorrência da grande utilização do azeite de oliva. Além de vinho.
7 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
Gostou do artigo? Compartilhe!