Gostou do artigo? Compartilhe!

Exames de urina não retratam bem o estado de hidratação de idosos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A desidratação1 por perda de água (hipertônica2, hiperosmótica ou desidratação1 intracelular) ocorre devido à ingestão insuficiente de líquidos e é distinta da hipovolemia3 devido ao excesso de perda de fluidos. A desidratação1 por perda de água é associada a maus resultados de saúde4, tais como incapacidade funcional e mortalidade5 em pessoas mais velhas. A densidade urinária6, a cor e a osmolaridade7 da urina8 têm sido amplamente usadas para o rastreamento da desidratação1 em idosos.

Com o objetivo de avaliar a precisão do diagnóstico9 de medidas urinárias para a triagem da desidratação1 por perda de água, em idosos, foi realizado um estudo publicado no periódico The American Journal of Clinical Nutrition.

Este foi um estudo de precisão do diagnóstico9 de pessoas com 65 anos ou mais, participantes dos estudos DRIE (Dehydration Recognition In our Elders) e NU-AGE (Dietary Strategies for Healthy Ageing in Europe). Os padrões de referência foram osmolaridade7 sérica, densidade urinária6, cor da urina8, osmolaridade7 da urina8, turbidez urinária, capacidade de fornecer uma amostra de urina8 e o volume de uma amostra aleatória de urina8. A acurácia diagnóstica mínima foi fixada em sensibilidade e especificidade ≥ a 70%.

Os participantes do estudo DRIE (mulheres: 67%; média de idade: 86 anos; n=162) apresentaram habilidades cognitivas e funcionais mais limitadas do que os participantes do estudo NU-AGE (mulheres: 64%; média de idade: 70 anos; n=151). 19% dos participantes do DRIE e 22% dos participantes do NU-AGE estavam desidratados (osmolaridade7 sérica > 300 mosmol/kg). Nem a densidade, nem quaisquer outros testes urinários potenciais foram úteis para o diagnóstico9 da desidratação1 por perda de água.

As conclusões do presente estudo mostram que, embora a densidade urinária6, a cor da urina8 e a osmolaridade7 urinária venham sendo amplamente usadas para o rastreamento da desidratação1 em idosos, a precisão de diagnóstico9 é muito baixa para considerá-las uteis. Estas medidas não devem ser utilizadas para indicar o estado de hidratação de pessoas idosas (quer de maneira isolada, quer como parte de uma fração mais ampla de exames). Há uma necessidade de desenvolver ferramentas simples, de baixo custo e não invasivas para a avaliação da desidratação1 em idosos.

 

Fonte: The American Journal of Clinical Nutrition, em 25 de maio de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. Exames de urina não retratam bem o estado de hidratação de idosos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1264329/exames-de-urina-nao-retratam-bem-o-estado-de-hidratacao-de-idosos.htm>. Acesso em: 11 dez. 2019.

Complementos

1 Desidratação: Perda de líquidos do organismo pelo aumento importante da freqüência urinária, sudorese excessiva, diarréia ou vômito.
2 Hipertônica: Relativo à hipertonia; em biologia caracteriza solução que apresenta maior concentração de solutos do que outra; em fisiologia, é o mesmo que espástico e em medicina diz-se de tecidos orgânicos que apresentam hipertonia ou tensão excessiva em músculos, artérias ou outros tecidos orgânicos.
3 Hipovolemia: Diminuição do volume de sangue secundário a hemorragias, desidratação ou seqüestro de sangue para um terceiro espaço (p. ex. peritônio).
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Densidade urinária: É uma função da concentração urinária. Em condições de alta concentração de soluto a densidade urinária tende a aumentar. Uma densidade baixa pode ser devido à incapacidade dos túbulos renais de concentrar a urina, como ocorre na diabetes insipidus.
7 Osmolaridade: Molaridade de uma solução que exerce a mesma pressão osmótica que uma solução ideal de uma substância não dissociada. É uma medida indireta da concentração somada de todos os solutos de uma determinada solução.
8 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
9 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
Gostou do artigo? Compartilhe!