Gostou do artigo? Compartilhe!

Médicos devem fazer do aconselhamento sobre a prática de atividade física regular uma prioridade na Prática Clínica

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Evidências clínicas indicam que a atividade física regular é uma das mais poderosas práticas de promoção da saúde1 que os médicos e outros profissionais de saúde1 podem recomendar para seus pacientes. Durante décadas, a investigação científica tem mostrado que a atividade física regular protege contra as principais doenças crônicas, incluindo hipertensão arterial2, diabetes3 tipo 2, obesidade4, doenças cardíacas, derrame5, declínio cognitivo6, alguns tipos de câncer7 e até mesmo depressão. Existe um amplo consenso de que a atividade física abranje vários benefícios para a saúde1.

A American Heart Association destaca que a falta de atividade física representa uma das principais causas de morte em todo o mundo. O papel dos profissionais de saúde1 para motivar a mudança de comportamento é fundamental. A falta de orientação sobre atividade física em ambientes clínicos representa uma oportunidade perdida para melhorar a saúde1 e o bem-estar dos pacientes e isto tem um custo mínimo.

Algumas das razões para que os clínicos deixem de oferecer orientação sobre atividade física incluem limitações de tempo, falta de ferramentas e ceticismo sobre se tal aconselhamento realmente funciona. Isto pode ser um desafio dadas todas as prioridades concorrentes, mas pode ser feito. Envolver a equipe clínica no processo e fornecer a cada membro da equipe responsabilidades específicas pode ajudar nas conversas e estratégias de mudança de comportamento.

Os pesquisadores sugerem que durante o exame físico, depois da verificação do peso corporal, pressão arterial8 e da frequência cardíaca, a enfermeira ou o médico assistente perguntem rotineiramente ao paciente: "Você faz exercício físico regularmente?" Se sim, um membro da equipe pode pedir detalhes, tomar nota e registrar no prontuário do paciente as respostas, além de reconhecer a importância dos esforços do paciente. Se a resposta for não, os pacientes podem ser perguntados se gostariam de começar a ser mais ativos e, em caso afirmativo, quais atividades eles acham que são razoáveis e como eles podem dar início a elas. Os pacientes devem ser encorajados a começar o quanto antes.

O clínico pode fazer uma prescrição de exercício afirmando que o paciente concordou em iniciar esta prática. Os pacientes poderão ser convidados a acompanhar as suas atividades e trazer seus registros de atividade em uma próxima visita. É importante marcar uma consulta de seguimento e não se esquecer de perguntar aos pacientes sobre os seus registros de atividade física na próxima consulta. Isso mostra que o paciente e o médico estão envolvidos. Para muitos adultos, a auto-monitorização regular promove a auto-eficácia e a manutenção da mudança de comportamento. A mensagem sobre a importância das atividades regulares deve ser reforçada a cada visita de acompanhamento. Mesmo pequenas mudanças na prática de exercícios e níveis de atividade física pode levar a melhorias substanciais na saúde1 cardiometabólica.

Para os pacientes que precisam de educação e apoio adicional, os clínicos podem considerar encaminhamentos para especialistas.

Aproveitando a tecnologia móvel, os médicos podem também recomendar pedômetros ou outros dispositivos de medição portáteis, recursos disponíveis como formulários e lembretes de auto-monitoramento e oferecer aos pacientes uma lista de aplicativos e sites selecionados para incentivar as atividades físicas.

Os médicos e outros profissionais de saúde1 são confiáveis fontes de informação e podem ajudar os pacientes a estabelecer prioridades para melhorar a sua saúde1. Orientação sobre atividade física proporciona uma oportunidade extremamente importante para melhorar a saúde1 e o bem-estar dos pacientes.

Fonte: The Journal of the American Medical Association (JAMA), publicação online, de 10 de dezembro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Médicos devem fazer do aconselhamento sobre a prática de atividade física regular uma prioridade na Prática Clínica. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/813769/medicos-devem-fazer-do-aconselhamento-sobre-a-pratica-de-atividade-fisica-regular-uma-prioridade-na-pratica-clinica.htm>. Acesso em: 24 nov. 2020.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
3 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
4 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
5 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
6 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
Gostou do artigo? Compartilhe!