Gostou do artigo? Compartilhe!

The Lancet Oncology: poluição do ar pode aumentar risco de câncer de pulmão, principalmente do adenocarcinoma

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo europeu publicado na revista The Lancet Oncology avaliou o impacto da exposição prolongada aos óxidos de nitrogênio e a materiais particulados (MP) provenientes do tráfego, da indústria e do aquecimento doméstico.
A análise constatou que a exposição em longo prazo, mesmo a baixos níveis de poluição do ar, aumenta o risco de câncer1 de pulmão2, principalmente de adenocarcinoma3, tipo que afeta mais os não fumantes.

A poluição do ar e a incidência4 de câncer1 de pulmão2 foi estudada em uma análise prospectiva conhecida por European Study of Cohorts for Air Pollution Effects (ESCAPE). O objetivo foi avaliar a associação entre a exposição no longo prazo à poluição do ar ambiente e a incidência4 de câncer1 de pulmão2 em populações europeias.

Esta análise utilizou dados de dezessete estudos de coorte5 com base em nove países europeus, abrangendo um total de quase 313 mil pessoas. Durante o seguimento médio de 13 anos, foram diagnosticados 2.095 casos novos de câncer1 de pulmão2.

Foram analisadas as exposições a partículas de menos de 2,5 micrômetros (PM 2,5), a aquelas com menos de 10 micrômetros (PM 10) e aos óxidos de nitrogênio.

As meta-análises mostraram uma associação estatisticamente significativa entre o risco de câncer1 de pulmão2 e a poluição do ar com material particulado, aumentando a incidência4 de câncer1 de pulmão2 na Europa. Constatou-se que para cada aumento de cinco microgramas de PM 2,5 por metro cúbico de ar, o risco de câncer1 de pulmão2 aumentou em 18%. Já para cada aumento de 10 microgramas de PM 10 por metro cúbico de ar o risco era aumentado em 22%. Não foram encontradas ligações entre o câncer1 de pulmão2 e a exposição aos óxidos de nitrogênio.

Fonte: The Lancet Oncology, publicação online de 10 de julho de 2013 

NEWS.MED.BR, 2013. The Lancet Oncology: poluição do ar pode aumentar risco de câncer de pulmão, principalmente do adenocarcinoma. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/366084/the-lancet-oncology-poluicao-do-ar-pode-aumentar-risco-de-cancer-de-pulmao-principalmente-do-adenocarcinoma.htm>. Acesso em: 17 jul. 2019.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
3 Adenocarcinoma: É um câncer (neoplasia maligna) que se origina em tecido glandular. O termo adenocarcinoma é derivado de “adeno”, que significa “pertencente a uma glândula” e “carcinoma”, que descreve um câncer que se desenvolveu em células epiteliais.
4 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
5 Estudos de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
Gostou do artigo? Compartilhe!