Gostou do artigo? Compartilhe!

Gripe suína: OMS aumenta alerta de uma possível pandemia

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os países com casos confirmados da doença, mas sem mortes, oficialmente registrados são: Canadá (6), Nova Zelândia (3), Reino Unido (2), Israel (2) e Espanha (2). Os Estados Unidos têm 64 casos confirmados em laboratório, sem nenhuma morte registrada, e o México confirmou 26 casos em humanos com 7 mortos pela doença.

O alerta para uma possível pandemia1 de gripe2 suína passou do nível 3 para o nível 4. Entra-se no nível 4 quando já há casos de transmissão do vírus3 entre seres humanos e verifica-se a capacidade do mesmo de causar infecções4 à comunidade. A capacidade de um vírus3 gerar a doença em uma comunidade demonstra o potencial que ele tem de gerar uma pandemia1. Qualquer país que suspeite ou tenha verificado eventos desta natureza deve comunicar à OMS para que a Organização possa auxiliar os esforços de contenção da doença. Embora o nível 4 demonstre uma possibilidade real de pandemia1, ainda não há certeza de que haverá uma epidemia global.

Até o momento, a OMS não recomenda restrições para viagens regulares ou fechamento de barreiras. Mas é considerado prudente que pessoas doentes adiem viagens internacionais e pessoas que desenvolvam sintomas5 durante viagens internacionais procurem assistência médica, de acordo com as orientações das autoridades nacionais.

Não há risco em consumir carne suína ou produtos derivados do porco  cozidos a 70°c. Os indivíduos devem lavar regularmente as mãos6 com água e sabão e procurar atendimento médico em caso de sintomas5 da gripe2.

Fonte: OMS

NEWS.MED.BR, 2009. Gripe suína: OMS aumenta alerta de uma possível pandemia. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/34298/gripe-suina-oms-aumenta-alerta-de-uma-possivel-pandemia.htm>. Acesso em: 14 out. 2019.

Complementos

1 Pandemia: É uma epidemia de doença infecciosa que se espalha por um ou mais continentes ou por todo o mundo, causando inúmeras mortes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a pandemia pode se iniciar com o aparecimento de uma nova doença na população, quando o agente infecta os humanos, causando doença séria ou quando o agente dissemina facilmente e sustentavelmente entre humanos. Epidemia global.
2 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
3 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
Gostou do artigo? Compartilhe!