Gostou do artigo? Compartilhe!

Enxaqueca antes da gestação foi relacionada a complicações na gravidez, incluindo pré-eclâmpsia e hipertensão gestacional

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Mulheres com histórico de enxaqueca1 apresentaram maiores riscos de complicações na gravidez2, mostraram dados do grande estudo prospectivo3 Nurses' Health Study II.

Em modelos ajustados para idade, adiposidade e fatores comportamentais e de saúde4, as mulheres com enxaqueca1 pré-gravidez2 tiveram maiores riscos de parto prematuro, hipertensão5 gestacional e pré-eclâmpsia6 em comparação com mulheres que não tiveram enxaqueca1 pré-gravidez2, relatou Alexandra Purdue-Smithe, PhD, do Brigham and Women's Hospital em Boston.

Em comparação com mulheres sem enxaqueca1 antes da gestação, o risco de pré-eclâmpsia6 foi maior entre aquelas que tiveram enxaqueca1 com aura versus enxaqueca1 sem aura, Purdue-Smithe relatou durante uma apresentação na reunião anual de 2022 da American Academy of Neurology, realizada online e em Seattle. Os riscos de outros resultados adversos da gravidez2 não diferiram pelo fenótipo7 da aura.

Saiba mais sobre "Enxaqueca1", "Gravidez2 de risco" e "Diferenças entre pré-eclâmpsia6 e eclâmpsia8".

“A enxaqueca1 é altamente prevalente entre mulheres em idade reprodutiva e complicações na gravidez2, como pré-eclâmpsia6, embora raras em geral, podem ser fatais para a mãe e o bebê”, disse Purdue-Smithe ao MedPage Today.

“Nossas descobertas sugerem que o histórico de enxaqueca1 antes da gravidez2 pressagia um risco aumentado de pré-eclâmpsia6 e outras complicações e pode ser um fator clinicamente importante para os médicos considerarem ao avaliar e gerenciar os riscos obstétricos”, acrescentou.

A enxaqueca1 ocorre em cerca de 12% da população geral dos EUA, incluindo 18% das mulheres e 6% dos homens a cada ano. Enxaqueca1 e resultados adversos da gravidez2 compartilham fisiopatologia9 comum, e ambos estão associados a doença arterial coronariana e acidente vascular cerebral10, observou Purdue-Smithe.

O objetivo do estudo desenvolvido pela médica e sua equipe foi examinar longitudinalmente as associações entre enxaqueca1 pré-gestacional, fenótipo7 de aura e risco de resultados adversos na gravidez2.

A enxaqueca1 é um distúrbio neurovascular altamente prevalente (10-20%) que é duas a três vezes mais comum em mulheres em idade reprodutiva do que em homens com idade semelhante.

Os achados de alguns estudos caso-controle e retrospectivos sugerem que a enxaqueca1 e os resultados adversos da gravidez2 podem estar relacionados, mas faltam grandes estudos prospectivos. Além disso, estudos prospectivos anteriores careciam de informações sobre aura, o fenótipo7 de enxaqueca1 mais fortemente associado ao risco vascular11.

No presente estudo, os pesquisadores estimaram associações da enxaqueca1 pré-gestacional diagnosticada por médico autorrelatada com parto prematuro (<37 semanas), diabetes mellitus12 gestacional (DMG), hipertensão5 gestacional, pré-eclâmpsia6 e baixo peso ao nascer (<5,5 lbs) entre gestações incidentes13 no Nurses' Health Study II (n = 30.555; 1989-2009). Riscos relativos (RR) e intervalos de confiança (IC) de 95% foram estimados usando regressão log-binomial que contabilizava para gestações múltiplas por participante.

Em modelos ajustados para idade, adiposidade e outros fatores comportamentais e de saúde4, mulheres com enxaqueca1 pré-gestacional (11%) apresentaram maior risco de parto prematuro (RR = 1,17; IC 95% = 1,05-1,30), hipertensão5 gestacional (RR = 1,28; IC 95% = 1,11-1,48) e pré-eclâmpsia6 (RR = 1,40; IC 95% = 1,19-1,65) em comparação com mulheres sem enxaqueca1 pré-gestacional.

A enxaqueca1 pré-gestacional não foi associada ao baixo peso ao nascer (RR = 0,99; IC 95% = 0,85-1,16) ou DMG (RR = 1,05; IC 95% = 0,91-1,22).

Em comparação com mulheres sem enxaqueca1 pré-gestacional, o risco de pré-eclâmpsia6 foi um pouco maior entre as mulheres com enxaqueca1 com aura (RR = 1,51; IC 95% = 1,22-1,88) do que aquelas com enxaqueca1 sem aura (RR = 1,29; IC 95% = 1,04-1,61). Os riscos de outros resultados adversos da gravidez2 não diferiram pelo fenótipo7 da aura.

Neste grande estudo prospectivo3, a enxaqueca1 antes da gravidez2 foi associada a maiores riscos de parto prematuro, hipertensão5 gestacional e pré-eclâmpsia6. A enxaqueca1 com aura foi associada a um risco um pouco maior de pré-eclâmpsia6. A história e o fenótipo7 da enxaqueca1 podem ser considerações importantes na avaliação e gestão do risco obstétrico.

Leia sobre "Hipertensão5 da gravidez2", "Parto prematuro" e "Mitos e verdades sobre dor de cabeça14".

 

Fontes:
American Academy of Neurology Annual Meeting 2022, apresentação em abril de 2022.
MedPage Today, notícia publicada em 25 de abril de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Enxaqueca antes da gestação foi relacionada a complicações na gravidez, incluindo pré-eclâmpsia e hipertensão gestacional. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1415575/enxaqueca-antes-da-gestacao-foi-relacionada-a-complicacoes-na-gravidez-incluindo-pre-eclampsia-e-hipertensao-gestacional.htm>. Acesso em: 10 dez. 2022.

Complementos

1 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
6 Pré-eclâmpsia: É caracterizada por hipertensão, edema (retenção de líquidos) e proteinúria (presença de proteína na urina). Manifesta-se na segunda metade da gravidez (após a 20a semana de gestação) e pode evoluir para convulsão e coma, mas essas condições melhoram com a saída do feto e da placenta. No meio médico, o termo usado é Moléstia Hipertensiva Específica da Gravidez. É a principal causa de morte materna no Brasil atualmente.
7 Fenótipo: Características apresentadas por um indivíduo sejam elas morfológicas, fisiológicas ou comportamentais. Também fazem parte do fenótipo as características microscópicas e de natureza bioquímica, que necessitam de testes especiais para a sua identificação, como, por exemplo, o tipo sanguíneo do indivíduo.
8 Eclâmpsia: Ocorre quando a mulher com pré-eclâmpsia grave apresenta covulsão ou entra em coma. As convulsões ocorrem porque a pressão sobe muito e, em decorrência disso, diminui o fluxo de sangue que vai para o cérebro.
9 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
10 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
11 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
12 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
13 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
14 Cabeça:
Gostou do artigo? Compartilhe!