Gostou do artigo? Compartilhe!

Brócolis ajuda no controle glicêmico por conter sulforafano, publicado pelo Science Translational Medicine

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma nova razão para comer brócolis é que nele está o sulforafano, substância que reduz a produção de glicose1 hepática2 e melhora o controle glicêmico em pacientes com diabetes3 tipo 2, segundo artigo publicado pelo periódico Science Translational Medicine.

A diabetes tipo 24 está se tornando cada vez mais comum em todo o mundo e nem todos os pacientes podem ser tratados com sucesso com os medicamentos existentes. Annika S. Axelsson e colaboradores da Lund University Diabetes3 Center, na Suíça, analisaram o padrão de expressão gênica associada à diabetes tipo 24 e o compararam às assinaturas de genes de milhares de candidatos ao uso de medicamentos para encontrar compostos que poderiam contrariar os efeitos da diabetes3.

O principal candidato desta análise foi o sulforafano, um composto natural encontrado no brócolis e em outros vegetais como couve, couve de Bruxelas e repolho. Os autores mostraram que o sulforafano inibe a produção de glicose1 em células cultivadas5 e melhora a tolerância à glicose1 em roedores mantidos em dietas com alto teor de gordura6 ou alta concentração de frutose7.

O sulforafano suprimiu a produção de glicose1 a partir de células8 hepáticas9 por translocação10 nuclear do fator nuclear relacionado ao eritroide 2 (NRF2) e diminuiu a expressão de enzimas chave na gliconeogênese11. Além disso, em um ensaio clínico, o extrato de brotos de brócolis contendo sulforafano foi bem tolerado e melhorou a glicemia de jejum12 em humanos com obesidade13 e diabetes tipo 24 não controlada.

Veja mais sobre "Diabetes mellitus14", "Prevenção do Diabetes Mellitus14", "Frutose7", "Comportamento da glicemia15" e "Obesidade13".

 

Fonte: Science Translational Medicine, volume 9, número 394, de 14 de junho de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Brócolis ajuda no controle glicêmico por conter sulforafano, publicado pelo Science Translational Medicine. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1299928/brocolis-ajuda-no-controle-glicemico-por-conter-sulforafano-publicado-pelo-science-translational-medicine.htm>. Acesso em: 18 nov. 2019.

Complementos

1 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
2 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
3 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
4 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
5 Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.
6 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
7 Frutose: Açúcar encontrado naturalmente em frutas e mel. A frutose encontrada em alimentos processados é derivada do milho. Contém quatro calorias por grama.
8 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
9 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
10 Translocação: É uma alteração cromossômica na qual um segmento de cromossomo se destaca e se fixa em outra posição no mesmo cromossomo ou sobre outro cromossomo.
11 Gliconeogênese: Formação de novo açúcar. É o caminho pelo qual é produzida a glicose a partir de compostos aglicanos (não-açúcares ou não-carboidratos), sendo a maior parte deste processo realizado no fígado (principalmente em jejum) e uma menor parte realizada no córtex renal.
12 Glicemia de jejum: Teste que checa os níveis de glicose após um período de jejum de 8 a 12 horas (frequentemente dura uma noite). Este teste é usado para diagnosticar o pré-diabetes e o diabetes. Também pode ser usado para monitorar pessoas com diabetes.
13 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
14 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
15 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
Gostou do artigo? Compartilhe!