Gostou do artigo? Compartilhe!

Apenas um copo de vinho ou de outra bebida alcoólica por dia aumenta o risco de câncer de mama na pré-menopausa em 5% e o risco de câncer de mama na pós-menopausa em 9%

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Beber apenas um copo de vinho ou de outra bebida alcoólica por dia aumenta o risco de câncer1 de mama2, segundo novo relatório do American Institute for Cancer1 Research (AICR) e do World Cancer1 Research Fund (WCRF).

O relatório também revelou, pela primeira vez, que o exercício vigoroso, como correr ou andar de bicicleta em velocidade rápida, diminui o risco de câncer1 de mama2 na pré e pós-menopausa3. Além disso, forte evidência confirmou uma descoberta anterior de que o exercício físico moderado diminui o risco de câncer1 de mama2 na pós-menopausa3, o tipo mais comum deste tumor4.

"Com este relatório abrangente e atualizado, a evidência é clara: ter um estilo de vida fisicamente ativo, manter um peso corporal saudável ao longo da vida e limitar o consumo de álcool são todos os passos que as mulheres podem dar para reduzir seu risco", diz Anne McTiernan, MD, PhD, principal autora do relatório e especialista em prevenção do câncer1 no Fred Hutchinson Cancer1 Research Center.

Saiba mais sobre "Menopausa3" e "Atividade física".

Caminhada vigorosa, álcool e amamentação5

O relatório Diet, nutrition, physical activity and breast cancer1 colecionou e avaliou sistematicamente a pesquisa científica mundial sobre como a dieta, o peso corporal e o exercício físico afetam o risco de câncer1 de mama2 desde a primeira avaliação feita em 2010. O relatório analisou 119 estudos, incluindo dados sobre 12 milhões de mulheres e 260.000 casos de câncer1 de mama2.

O relatório encontrou fortes indícios de que beber o equivalente a um pequeno copo de vinho ou cerveja por dia (cerca de 10 gramas de teor alcoólico) aumenta o risco de câncer1 de mama2 pré-menopáusico em 5% e o risco de câncer1 de mama2 na pós-menopausa3 em 9%. Uma bebida padrão tem 14 gramas de álcool.

Para o exercício vigoroso, as mulheres na pré-menopausa3 que eram as mais ativas tinham um risco 17% menor e as mulheres na pós-menopausa3 tinham um risco 10% menor de desenvolver câncer1 de mama2 em comparação com aquelas que eram menos ativas. Atividade física moderada total realizada, como caminhar e praticar jardinagem, está ligada a um risco 13% menor quando comparam-se as mulheres mais ativas versus as menos ativas.

Além disso, o relatório mostrou que:

  • Estar acima do peso ou obesa aumenta o risco de câncer1 de mama2 na pós-menopausa3, o tipo mais comum de câncer1 de mama2.
  • Mães que amamentam têm menor risco de câncer1 de mama2.
  • Maior ganho de peso na idade adulta aumenta o risco de câncer1 de mama2 na pós-menopausa3.
Leia sobre "Como está seu peso", "Câncer1 de mama2", "Consumo de álcool e câncer1" e "Obesidade6".

O câncer1 de mama2 é o câncer1 mais comum em mulheres dos EUA, com mais de 252.000 novos casos estimados este ano. O AICR estima que um em cada três casos de câncer1 de mama2 nos Estados Unidos poderia ser evitado se as mulheres não bebessem álcool, fossem fisicamente ativas e mantivessem um peso corporal saudável.

Laticínios e vegetais não amiláceos

O relatório aponta para ligações entre dieta e risco de câncer1 de mama2. Houve algumas evidências - embora limitadas - de que os vegetais não amiláceos reduzem o risco de câncer1 de mama2 com receptores de estrogênio (ER) negativos, um tipo de tumor4 menos comum, porém mais agressivo.

Evidências limitadas também relacionam laticínios, dietas ricas em cálcio e alimentos que contêm carotenoides à diminuição do risco de alguns cânceres de mama2. Cenouras, damascos, espinafre e couve são todos alimentos ricos em carotenoides, um grupo de fitonutrientes estudados por seus benefícios de saúde7.

Esses links são intrigantes, mas mais pesquisas são necessárias, diz McTiernan. "Os resultados indicam que as mulheres podem obter algum benefício em incluir mais vegetais não amiláceos, com alta variedade, acrescentando à dieta alimentos que contêm carotenoides", disse ela. "Isso também pode ajudar a evitar os 500 gramas a um quilo de peso corporal que as mulheres comuns ganham a cada ano, o que é fundamental para reduzir o risco de câncer1".

Passos que as mulheres podem dar

Além desses fatores de risco, outras causas estabelecidas de câncer1 de mama2 incluem idade mais avançada, menarca8 precoce e história familiar de câncer1 de mama2.

Embora haja muitos fatores que as mulheres não podem controlar, diz Alice Bender, Chefe de Programas de Nutrição9 do AICR, a boa notícia deste relatório é que todas as mulheres podem tomar medidas para reduzir seu risco de câncer1 de mama2.

"Independente do grau que esteja a sua atividade física, tente cutucá-la um pouco ou fazendo por mais tempo ou com mais vigor. Faça mudanças simples no consumo de alimentos para aumentar a sua proteção - substitua batatas fritas e biscoitos por cenouras, pimentões ou saladas verdes e, se você bebe álcool, fique apenas com um drinque ou menos que isso", disse Bender. Claro que em se tratando de câncer1, nada disso é garantia de proteção.

O relatório faz parte do Projeto de Atualização Contínua (CUP), que monitora e analisa pesquisas sobre prevenção do câncer1 de todo o mundo e tira conclusões sobre como o peso corporal, a dieta e a atividade física podem reduzir o risco de desenvolver câncer1.

Veja também sobre "Menstruação10" e leia o ebook "Outubro Rosa: informações e cuidados sobre o câncer1 de mama2".

 

Fonte: American Institute for Cancer1 Research, em 23 de maio de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Apenas um copo de vinho ou de outra bebida alcoólica por dia aumenta o risco de câncer de mama na pré-menopausa em 5% e o risco de câncer de mama na pós-menopausa em 9%. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1297843/apenas-um-copo-de-vinho-ou-de-outra-bebida-alcoolica-por-dia-aumenta-o-risco-de-cancer-de-mama-na-pre-menopausa-em-5-e-o-risco-de-cancer-de-mama-na-pos-menopausa-em-9.htm>. Acesso em: 17 nov. 2019.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
4 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
5 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
6 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Menarca: Refere-se à ocorrência da primeira menstruação.
9 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
10 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
Gostou do artigo? Compartilhe!