Gostou do artigo? Compartilhe!

HIV: tenofovir, distribuído gratuitamente para 11 mil pessoas, fica 51% mais barato

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia
O Ministério da Saúde1 agora pagará 51% a menos pelo medicamento tenofovir, que faz parte do coquetel utilizado para o tratamento dos portadores de HIV2. O acordo foi assinado pelo ministro da Saúde1, Agenor Álvares, e o vice-presidente da empresa Gilead Science, Joseph Steele, representando uma economia imediata de US$ 31,4 milhões por ano, que permitirá investimentos no próprio programa. O remédio é distribuído pelo governo federal gratuitamente para 11 mil pacientes. O valor do comprimido passou de US$ 7,68 para US$ 3,80.

"O acordo satisfez o governo, principalmente porque garante o abastecimento desse antiretroviral importante para o programa brasileiro e, em segundo lugar, porque traz uma economia considerável que deve ser utilizada na aquisição de outros medicamentos", afirmou o ministro Agenor Álvares. "Nós estamos em negociação com todos os produtores de antiretrovirais. O governo federal tem o compromisso de garantir aos portadores de HIV2 o provimento desses medicamentos que são necessários para a melhoria da sua qualidade de vida", acrescentou.

Segundo o secretário de Vigilância em Saúde1, Jarbas Barbosa, o acordo já vale para a aquisição de 8,1 milhões de cápsulas neste ano pelo governo brasileiro. "O acordo não estabelece a compra do remédio em nenhuma quantidade. Exceto pelos programas humanitários, o Brasil tem agora o melhor preço para o medicamento em toda a América Latina", disse o secretário.

De 1980 a junho de 2005, foram registrados 371.827 casos de aids no Brasil. A taxa de incidência3 da aids (casos da doença por 100 mil habitantes) mantém-se estável - 17,2 em 2004. A razão entre homens e mulheres continua caindo e hoje está em 1,5 caso em homens para 1 caso em mulher. No início da epidemia, a razão era de 16 casos em homens para 1 em mulher. Atualmente, 170 mil pessoas recebem gratuitamente o coquetel antiretroviral.

Para Mariângela Simão, diretora do Programa Nacional DST/Aids, com o acordo será possível expandir em até 50% a distribuição gratuita do medicamento até o final do ano. "O tenofovir passa a ser um medicamento de escolha de primeira linha. Ao reduzir o custo, isso possibilita o aumento do número de pacientes atendidos. Devemos fechar o ano com 15 mil ou 16 mil pessoas atendidas", afirmou. O remédio, segundo ela, tem vantagens pela eficácia terapêutica4, pela dosagem única no dia e pela redução de sintomas5 colaterais.

Fonte: Ministério da Saúde1
NEWS.MED.BR, 2006. HIV: tenofovir, distribuído gratuitamente para 11 mil pessoas, fica 51% mais barato. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1288/hiv-tenofovir-distribuido-gratuitamente-para-11-mil-pessoas-fica-51-mais-barato.htm>. Acesso em: 6 dez. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
3 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
4 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!