Gostou do artigo? Compartilhe!

Uma nova escala destaca os melhores nutrientes para depressão

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Existem evidências crescentes do importante papel da dieta na saúde1 do cérebro2, particularmente em áreas associadas à depressão e demência3, segundo apresentou o Dr. Drew Ramsey, professor e médico assistente de psiquiatria, da Columbia University, em uma palestra no Encontro Anual de 2016 da American Psychiatric Association (APA).

Leia sobre "Depressão" e "Demência3".

Alimentos de origem vegetal estão no topo da escala alimentar do Dr. Ramsey. Para desenvolver esse sistema de perfil nutricional, ele e seus colegas avaliaram a literatura e montaram uma lista do que eles chamam de nutrientes cerebrais essenciais (NCE) que afetam o tratamento e a prevenção da depressão.

Os principais nutrientes incluem os ácidos graxos de cadeia longa ômega 3, magnésio, cálcio, fibras e vitaminas B1, B9, B12, D e E. Além das fontes vegetais, os cientistas procuraram incluir fontes animais, pois alguns nutrientes, como a vitamina4 B12, são predominantemente encontrados na carne e em outros produtos animais e são absolutamente fundamentais para a saúde1 cerebral.

Os mecanismos possíveis pelos quais esses alimentos podem melhorar o funcionamento do cérebro2 incluem estabilização da membrana neuronal e efeitos anti-inflamatórios.

Além dos vegetais de folhas verdes, os pesquisadores destacaram a importância do consumo de vísceras, carnes, castanhas (nozes e amendoins), mariscos (mexilhões, mariscos, ostras), moluscos (polvo, lula, caramujo) e peixes (salmão e sardinhas). Embora seja recomendado que os pacientes comam cerca de 250-350 gramas de peixe por semana, é importante escolher peixes que tenham pouco mercúrio, limitando o consumo de cação e peixe-espada.

Os pesquisadores planejam a publicação dessa pesquisa, segundo o Dr. Ramsey, pois assim poderão contribuir com um novo conjunto de ferramentas para ajudar no tratamento e na prevenção de certas doenças mentais.

Veja também o artigo sobre "O que é uma alimentação saudável".

 

Fonte: Encontro Anual da American Psychiatric Association (APA) de 2016, apresentado em 17 de maio de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Uma nova escala destaca os melhores nutrientes para depressão. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1283278/uma-nova-escala-destaca-os-melhores-nutrientes-para-depressao.htm>. Acesso em: 16 set. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
3 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
4 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
Gostou do artigo? Compartilhe!