Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA: gestantes e bebês estão expostos a neurotoxinas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O consenso, publicado em julho pelo Environmental Health Perspectives, é conhecido como The Targeting Environmental Neuro-Developmental Risks (TENDR) Consensus Statement e faz um convite à ação para reduzir a exposição a produtos químicos tóxicos que podem contribuir para a prevalência1 da deficiência do desenvolvimento neurológico em crianças da América.

Depois de analisar evidências dos efeitos no cérebro2 e sistema nervoso3 de mais de 10 grupos químicos diferentes em estudos de exposição na infância e desenvolvimento infantil, os exemplos de produtos químicos neurotóxicos foram além dos habituais suspeitos chumbo, mercúrio e bifenilpoliclorados (PCBs) e incluíram também pesticidas organofosforados, retardadores de chama4 difenil eter polibromado (PBDE) e poluentes do ar relacionados à combustão.

Estes produtos químicos foram escolhidos devido à forte evidência de neurotoxicidade em seres humanos, juntamente com a exposição generalizada e a viabilidade de redução à exposição. Mas Irva Hertz-Picciotto, diretora do University of California-Davis Environmental Health Sciences Center e co-diretora do Projeto TENDR, enfatizou que "estes produtos químicos são exemplos e não devem ser interpretados como a totalidade do problema."

O grupo concorda que a investigação sobre outros produtos químicos emergentes, particularmente aqueles que causam perturbações endócrinas tais como os ftalatos, também levantam graves preocupações de segurança. Hertz-Picciotto também apontou que milhares de produtos químicos ainda não foram testados para efeitos de longo prazo sobre a função cerebral resultante de exposições no período pré-natal e na infância precoce.

De acordo com as estimativas atuais dos Centros para Controle e Prevenção de Doenças, uma em cada dez crianças nos Estados Unidos tem transtorno do déficit de atenção/hiperatividade (TDAH), enquanto uma em 68 tem transtorno do espectro do autismo (TEA). Deficiências intelectuais, que são mais difíceis de serem mensuradas, também parecem estar em ascensão.

Embora as exposições químicas sejam apenas um componente que contribui para o aumento das perturbações do desenvolvimento neurológico, elas são um fator que pode ser reduzido, o que torna seu conhecimento muito importante.

Leia mais sobre "Autismo", "Sintomas5 precoces de Autismo" e "Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)".

 

Fonte: JAMA, publicação online, de 14 de setembro de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. JAMA: gestantes e bebês estão expostos a neurotoxinas. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1276348/jama-gestantes-e-bebes-estao-expostos-a-neurotoxinas.htm>. Acesso em: 16 dez. 2019.

Complementos

1 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
2 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
3 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
4 Retardadores de chama: Retardante de chama ou retardador de chama é uma substância química utilizada para retardar ou, se possível, eliminar a propagação de chamas em um material. Os aditivos anti-chama tornam o processo da propagação de calor entre os compostos muito mais lento. As substâncias químicas empregadas nesses aditivos têm alto calor especifico, ou seja, precisam de muito calor para aumentar sua temperatura e, por isso, ajudam a retardar ou impedem a combustão. Em nosso cotidiano, eles estão em quase tudo que nos cerca, desde fios até na espuma de travesseiros e colchões, passando por chips de computador, placas eletrônicas, televisores, micro-ondas, videogames, aspiradores de pó e outros eletrodomésticos, além de móveis e tecidos sintéticos.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!