Gostou do artigo? Compartilhe!

Começam os testes em humanos para avaliar uma vacina experimental contra o Zika vírus

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O estudo de fase inicial irá avaliar a segurança e a capacidade de gerar uma resposta do sistema imunitário1 nos participantes que irão receber a vacina2 experimental. Pelo menos 80 voluntários saudáveis, com idade entre 18 e 35 anos, em três locais de estudo nos Estados Unidos, incluindo o NIH Clinical Center, em Bethesda, irão participar da pesquisa. Cientistas do NIAID’s Vaccine Research Center (VRC) desenvolveram a vacina2, com nome em inglês de “NIAID Zika virus3 investigational DNA vaccine”, no início deste ano.

O estudo é parte da resposta do governo dos EUA para o atual surto do vírus3 Zika nas Américas. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, mais de 50 países e territórios têm transmissão ativa do vírus3 Zika. Embora as infecções4 Zika sejam geralmente assintomáticas, algumas pessoas apresentam doença leve que dura cerca de uma semana. No entanto, a infecção5 pelo vírus3 Zika durante a gravidez6 pode provocar microcefalia7, bem como outros defeitos fetais graves no cérebro8 e outros órgãos. Não existem vacinas ou terapias específicas para prevenir ou tratar esta doença.

Saiba mais nos artigos:

Até o momento, os testes em animais estão sendo animadores e os cientistas estão confiantes com o início dos testes em seres humanos. No entanto, ainda vai demorar algum tempo antes de uma vacina2 contra o Zika vírus3 estar disponível comercialmente.

O ensaio clínico de Fase 1, chamado VRC 319, é liderado por Julie E. Ledgerwood, chefe do programa de ensaios clínicos11 do VRC. Os voluntários serão divididos aleatoriamente em quatro grupos de estudo de 20 pessoas cada. Após a inscrição, todos os participantes receberão uma vacinação em sua primeira visita através de um injetor sem agulha que empurra o fluido da vacina2 no músculo do braço. Metade dos participantes receberá um adicional de vacinação oito semanas ou 12 semanas mais tarde. Os participantes restantes receberão duas vacinas adicionais: um grupo de 20 participantes receberá uma segunda vacina2 na quarta semana e uma terceira na oitava semana; o outro grupo de 20 participantes receberá uma segunda vacina2 na quarta semana e uma terceira na vigésima semana. Todos os participantes receberão a mesma dose em cada vacinação.

Após cada vacinação, os participantes vão permanecer no local de estudo para observação por um mínimo de 30 minutos para que os médicos possam monitorar qualquer reação adversa. Os participantes receberão um cartão diário para usar em casa para anotar sua temperatura e quaisquer sintomas12 durante sete dias após cada vacinação.

Todos os participantes irão retornar para visitas de acompanhamento dentro de um período de 44 semanas após a primeira vacinação para que os investigadores possam monitorar sua saúde13 e determinar se a vacina2 é segura.

Em visitas de acompanhamento, os investigadores também irão recolher amostras de sangue14 para testes de laboratório para medir a resposta imune à vacina2. Os participantes serão convidados a retornar para duas visitas de acompanhamento aos 18 meses e dois anos após a vacinação inicial para a obtenção de amostras de sangue14 adicionais para avaliar a durabilidade da resposta imune.

Dados de segurança e imunogenicidade iniciais do ensaio de Fase 1 são esperados até o final de 2016. Se os resultados mostrarem um perfil de segurança e resposta imune favoráveis, o NIAID iniciará um ensaio de Fase 2 em países com Zika vírus3 endêmico no início de 2017.

 

Fonte: National Institute os Allergy and Infections Diseases, News Release em 3 de agosto de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Começam os testes em humanos para avaliar uma vacina experimental contra o Zika vírus. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1272733/comecam-os-testes-em-humanos-para-avaliar-uma-vacina-experimental-contra-o-zika-virus.htm>. Acesso em: 21 set. 2019.

Complementos

1 Sistema Imunitário: Mecanismo de defesa do corpo contra organismos ou substâncias estranhas e células nativas anormais. Inclui a resposta imune humoral e a resposta mediada por célula e consiste de um complexo de componentes celulares, moleculares e genéticos interrelacionados.
2 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
3 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
7 Microcefalia: Pequenez anormal da cabeça, geralmente associada à deficiência mental.
8 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
9 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
10 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
11 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
12 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
Gostou do artigo? Compartilhe!