Gostou do artigo? Compartilhe!

OMS e Unaids recomendam a circuncisão masculina como forma de prevenir a infecção por HIV, principalmente em países africanos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Dada a necessidade de redução do número de novos casos do HIV1 em todo o mundo, a OMS (Organização Mundial de Saúde2) e a Unaids (agência criada pela ONU para tratar exclusivamente da síndrome3 da imunodeficiência4 adquirida) convocaram uma reunião de especialistas, realizada em março na Suíça, para determinar se a recomendação de circuncisão masculina é uma medida de prevenção da infecção5 por HIV1.

A conclusão é que a circuncisão masculina acarretará um benefício pessoal imediato e, após vários anos, terá impacto na epidemia mundial. Este representa um importante avanço na prevenção da infecção5 por HIV1/AIDS em países com taxas elevadas de infecção5 heterossexual por HIV1. É o que mostraram três estudos controlados realizados no Quênia, Uganda e África do Sul, pelos quais concluiu-se que a circuncisão masculina reduz em aproximadamente 60% o risco de infecção5 masculina adquirida por via heterossexual.

A circuncisão deve sempre fazer parte de um conjunto de medidas de prevenção, como exames de detecção do vírus6, tratamento de doenças sexualmente transmissíveis, promoção de práticas sexuais seguras e distribuição e incentivo ao uso correto de preservativos masculinos e femininos. O esclarecimento dos homens e suas parceiras é fundamental para que não se crie a falsa sensação de segurança, que pode levar a um comportamento de risco, o qual poderia anular a proteção conferida pela circuncisão masculina.

Em geral, a circuncisão masculina traz poucos riscos, mas que podem ser graves se realizada por profissionais não habilitados, em locais com pouca higiene ou com instrumentos cirúrgicos inadequados. Todos os países devem primar pela realização de circuncisão observando plenamente os princípios da ética médica e dos direitos humanos.

Fonte: Organização das Nações Unidas

NEWS.MED.BR, 2007. OMS e Unaids recomendam a circuncisão masculina como forma de prevenir a infecção por HIV, principalmente em países africanos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/11006/oms-e-unaids-recomendam-a-circuncisao-masculina-como-forma-de-prevenir-a-infeccao-por-hiv-principalmente-em-paises-africanos.htm>. Acesso em: 11 jul. 2020.

Complementos

1 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
4 Imunodeficiência: Distúrbio do sistema imunológico que se caracteriza por um defeito congênito ou adquirido em um ou vários mecanismos que interferem na defesa normal de um indivíduo perante infecções ou doenças tumorais.
5 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
Gostou do artigo? Compartilhe!