Atalho: 5RCA045
Gostou do artigo? Compartilhe!

Ministério da Saúde alerta passageiros contra o sarampo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em decorrência das investigações epidemiológicas desencadeadas após a detecção de um caso de sarampo1 em um esportista brasileiro de 36 anos, infectado ao participar de evento internacional nas Ilhas Maldivas, o Ministério da Saúde2 informou a ocorrência de mais dois casos de sarampo1. A vigilância epidemiológica identificou duas crianças, irmãos, moradores da cidade de São Paulo, ambos não vacinados anteriormente contra sarampo1.

Ao retornar da viagem internacional, o esportista fez uma conexão em São Paulo com destino à Florianópolis, de onde seguiu no dia seguinte para a Bahia.

A Secretaria de Vigilância em Saúde2 do Ministério da Saúde2 enviou todas as informações sobre esse evento para as secretarias estaduais de Saúde2 para que prossigam na busca ativa a novas suspeitas e realizem ações de bloqueio para impedir a disseminação da doença.

É importante que todas as pessoas, independentemente de apresentarem ou não sintomas3, que estiveram nos vôos relacionados abaixo, entrem em contato com o setor de Vigilância Epidemiológica das secretarias estaduais e municipais de Saúde2 do local onde estiverem para que seja avaliado se contraíram o sarampo1 e receberem a vacinação, caso não o tenham feito antes:

RG 8707 - Lisboa para Guarulhos/SP
Data: 14 de junho
Saída: 13h10
Chegada: 19h15

RG 2267 - Guarulhos/SP para Florianópolis/SC
Data: 14 de junho
Saída: 21h30
Chegada: 22h40

RG 2266 - Florianópolis/SC para Guarulhos/SP
Data: 16 de junho
Saída: 7h15
Chegada: 8h20

RG 2306 - Guarulhos/SP para Salvador/BA
Data: 16 de junho
Saída: 9h15
Chegada: 11h35

RG 2329 - Salvador/BA para Brasília/DF
Data: 17 de junho
Saída: 7h5
Chegada: 8h58

RG 2633 - Brasília/DF para Congonhas/SP
Data: 17 de junho
Saída: 11h25
Chegada: 13h13

RG 2774 - Congonhas/SP para Florianópolis/SC
Data: 17 de junho
Saída: 14h46
Chegada: 15h50

O Ministério da Saúde2 também recomenda que os médicos dos serviços de saúde2 públicos e privados que atenderam a qualquer paciente com os sinais4 e sintomas3 sugestivos de sarampo1 entrem em contato com a Secretaria de Saúde2 do seu município e comuniquem, de forma imediata, os casos como suspeito de sarampo1.

A vacinação contra o sarampo1 é altamente segura e eficaz, sendo a grande responsável por não apresentarmos casos autóctones desde 2000. Além disso, como continua a ocorrer circulação5 de vírus6 do sarampo1 em todos os continentes, com exceção das Américas, sempre haverá a possibilidade de importação por turismo ou migração. Por esse motivo as ações de vigilância e de vacinação precisam ser realizadas de forma permanente.

Fonte: Ministério da Saúde2

NEWS.MED.BR, 2005. Ministério da Saúde alerta passageiros contra o sarampo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1028/ministerio-da-saude-alerta-passageiros-contra-o-sarampo.htm>. Acesso em: 18 nov. 2019.

Complementos

1 Sarampo: Doença infecciosa imunoprevenível, altamente transmissível por via respiratória, causada pelo vírus do sarampo e de imunidade permanente. Geralmente ocorre na infância, mas pode afetar adultos susceptíveis (não imunes). As manifestações clínicas são febre alta, tosse seca persistente, coriza, conjuntivite, aumento dos linfonodos do pescoço e manchas avermelhadas na pele. Em cerca de 30% das pessoas com sarampo podem ocorrer complicações como diarréia, otite, pneumonia e encefalite.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
5 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
6 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
Gostou do artigo? Compartilhe!