Atalho: 5RCA02O
Gostou do artigo? Compartilhe!

Fiocruz produz xarope sabor laranja para a anemia de crianças

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Far-Manguinhos/Fiocruz) está produzindo um xarope com sabor de laranja para tratamento e prevenção de anemia1 em crianças. O objetivo é melhorar a aceitação do medicamento pela mudança no sabor. Especialistas estimam que cerca de 50-70% das crianças brasileiras com até dois anos têm anemia1. Na região nordeste esse número é ainda maior, chegando a 80%.

Grace Mafra, pesquisadora da Fiocruz, diz que a anemia1 é provocada pela falta de ferro no organismo e que prejudica o desenvolvimento da criança, por isso todas devem receber o xarope de sulfato ferroso dos 6 aos 18 meses de idade, fase em que o crescimento e o desenvolvimento são mais importantes. A faixa etária até 2 anos é de grande vulnerabilidade biológica à anemia1. Após esse período, o médico e a nutricionista2 devem orientar a mãe sobre como melhorar a alimentação da criança com o uso de alimentos ricos em ferro.

Além do paladar3 mais agradável, a cor amarelo-claro, a consistência de mel fino e a nova concentração fazem do xarope de sulfato ferroso um produto ideal para crianças. O gosto de metal e o aspecto escuro do produto, tradicionalmente utilizado na rede de saúde4, são os maiores entraves para a assimilação do medicamento.

O medicamento passou por um teste de eficácia no Rio de Janeiro. A pesquisadora informa: "O teste foi realizado em postos de saúde4 e em creches. Constatamos a grande aceitabilidade do xarope pelas crianças e avaliamos sua eficiência no sentido de aumentar a concentração de ferro no sangue5. O resultado da avaliação foi muito positivo". O xarope será utilizado em uma campanha nacional de combate à anemia1, que será realizada ainda este ano pelo Ministério da Saúde4. Esta campanha faz parte de um conjunto de medidas que o governo vai adotar para prevenir a doença. As ações vão desde a suplementação6 de ferro durante a gestação da mãe até a correção da alimentação para que a criança não corra risco de contrair a doença.

Na faixa etária de seis meses aos 2 anos, a anemia1 pode ser considerada "doença democrática", pois atinge crianças de todas as classes sociais devido à vulnerabilidade biológica. Porém, em geral, a anemia1 atinge com mais freqüência a população de baixo poder aquisitivo, pois está associada à carência de alimentação balanceada, saudável e rica em ferro. Medicamento antianêmico é um dos focos de Far-Manguinhos, cuja missão é assessorar o Ministério da Saúde4 em estratégias de assistência farmacêutica, desenvolvendo pesquisas e produzindo medicamentos, sobretudo no combate a doenças negligenciadas como a anemia1.

O tipo mais comum de anemia1 é a por deficiência de ferro - anemia ferropriva7. O ferro é vital ao organismo, pois é indispensável à produção de hemoglobina8, que carrega oxigênio dos glóbulos vermelhos do sangue5 (hemácias9) aos tecidos do organismo. A deficiência em ferro prejudica o crescimento, o desenvolvimento motor, cognitivo10, a linguagem e a memória. Debilita o sistema imunológico11, favorece infecções12, doenças e, em gestantes, está associada a complicações como o parto prematuro.

Além de prevenir com sulfato ferroso, outra medida eficaz no combate à anemia1 é a fortificação alimentar, que a partir do segundo semestre será obrigatória conforme regulamentou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Às farinhas de trigo e de milho devem ser adicionadas ferro e ácido fólico, fortificando todos os derivados como pães, bolos e biscoitos.

A alimentação não pode ser descuidada. Beterraba e espinafre, ao contrário do propagado, "não são os alimentos mais ricos em ferro". A dieta rica em ferro deve contemplar o consumo de carnes, fígado13, coração14, frango, peixe, feijão, verduras, como agrião e couve.

Alimentos que aumentam a absorção do ferro, como os que contêm vitamina15 C (laranja, limão, acerola, abacaxi e caqui) devem ser priorizados. "Não se deve ingerir junto a refeições mates, chás, cafés, leite, refrigerantes, pois prejudicam a absorção do ferro pelo organismo", diz Elyne. Já sucos cítricos e frutas facilitam a absorção. "É preciso incentivar nas crianças o hábito de uma dieta alimentar saudável, colorida e variada. É bom para a saúde4 e previne doenças".

Fonte: Fundação Oswaldo Cruz

NEWS.MED.BR, 2005. Fiocruz produz xarope sabor laranja para a anemia de crianças. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/939/fiocruz-produz-xarope-sabor-laranja-para-a-anemia-de-criancas.htm>. Acesso em: 21 set. 2019.

Complementos

1 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
2 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
3 Paladar: Paladar ou sabor. Em fisiologia, é a função sensorial que permite a percepção dos sabores pela língua e sua transmissão, através do nervo gustativo ao cérebro, onde são recebidos e analisados.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
6 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
7 Anemia Ferropriva: Anemia por deficiência de ferro. É o tipo mais comum de anemia. Há redução da quantidade total de ferro corporal até a exaustão das reservas de ferro. O fornecimento de ferro é insuficiente para atingir as necessidades de diferentes tecidos, incluindo as necessidades para a formação de hemoglobina e dos glóbulos vermelhos.
8 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
9 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
10 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
11 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
12 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
13 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
14 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
15 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
Gostou do artigo? Compartilhe!