Gostou do artigo? Compartilhe!

AIDS: vacina contra HIV reduz risco de infecção em 31%, segundo dados inéditos divulgados pela Sanofi Pasteur

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Sanofi Pasteur, divisão de vacinas da Sanofi-aventis, comenta os resultados da vacina1 contra HIV2 testada em população tailandesa, na qual a contaminação pelo HIV2 se dá mais comumente entre heterossexuais. O estudo está na fase 3 de triagem clínica e envolveu mais de 16 mil voluntários, mostrando segurança e modesta efetividade em prevenir a infecção3 pelo HIV2.

A vacina1 atual, a RV 144, é a combinação de duas vacinas prévias que não mostraram efetividade em prevenir a infecção3 quando usadas separadamente. A combinação da ALVAC® HIV2 com a AIDSVAX® B/E reduziu a taxa de infecção3 pelo HIV2 em 31,2% comparada ao uso de placebo4. Metade dos voluntários recebeu a vacina1 que está sendo testada e a outra metade recebeu placebo4 em estudo duplo-cego5. Todos foram aconselhados sobre a importância do uso de preservativos na prevenção de HIV2/AIDS, dentre outras recomendações. Eles foram testados para o HIV2 a cada seis meses por três anos.

Apesar de modesta, a redução no risco de infecção3 pelo HIV2 é estatisticamente significativa. É a primeira vez que uma evidência concreta desta redução aparece em testes clínicos. Pesquisas futuras são necessárias para desenvolver e testar a vacina1 para uso e também para esclarecer qual o mecanismo de proteção contra a infecção3 após o uso da vacina1. A Sanofi-aventis está engajada em parcerias públicas e privadas para dar prosseguimento aos estudos.

Esta pesquisa envolveu a participação das Forças Armadas dos EUA, do governo tailandês e da Sanofi-aventis.


Veja o press release da Sanofi-aventis no anexo6.

 

Fonte: Sanofi-aventis

 

 
NEWS.MED.BR, 2009. AIDS: vacina contra HIV reduz risco de infecção em 31%, segundo dados inéditos divulgados pela Sanofi Pasteur. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/41488/aids-vacina-contra-hiv-reduz-risco-de-infeccao-em-31-segundo-dados-ineditos-divulgados-pela-sanofi-pasteur.htm>. Acesso em: 27 fev. 2020.

Complementos

1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
2 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
5 Estudo duplo-cego: Denominamos um estudo clínico “duplo cego” quando tanto voluntários quanto pesquisadores desconhecem a qual grupo de tratamento do estudo os voluntários foram designados. Denominamos um estudo clínico de “simples cego” quando apenas os voluntários desconhecem o grupo ao qual pertencem no estudo.
6 Anexo: 1. Que se anexa ou anexou, apenso. 2. Contíguo, adjacente, correlacionado. 3. Coisa ou parte que está ligada a outra considerada como principal. 4. Em anatomia geral, parte acessória de um órgão ou de uma estrutura principal. 5. Em informática, arquivo anexado a uma mensagem eletrônica.
 
Gostou do artigo? Compartilhe!