Gostou do artigo? Compartilhe!

BMJ: lítio é eficaz para reduzir risco de suicídio em pacientes com transtorno de humor

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Para avaliar se o lítio tem um efeito preventivo1 específico no risco de suicídio e em pessoas com distúrbios de humor unipolar e bipolar, foi realizado um estudo publicado pelo British Medical Journal (BMJ).

A revisão sistemática e meta-análise foi baseada em dados do Medline, Embase, CINAHL, PsycINFO, Central, registros de ensaios clínicos2 da web, principais livros, autores de documentos importantes e outros especialistas na disciplina e sites de empresas farmacêuticas.

Dois revisores avaliaram os estudos para inclusão e risco de viés e extraíram os dados. Os principais resultados foram o número de pessoas que completaram o suicídio, envolveram-se em auto-mutilação deliberada, e morreram por qualquer causa.

Os resultados de 48 ensaios clínicos2 randomizados (6.674 participantes, 15 comparações) foram incluídos. O lítio foi mais eficaz do que o placebo3 na redução do número de suicídios e de mortes por qualquer causa. Não há claros benefícios observados com lítio, em comparação com placebo3, na prevenção de auto-mutilação deliberada. Na depressão unipolar, o lítio foi associado a uma redução do risco de suicídio e também do número total de mortes em comparação com o placebo3. Quando o lítio foi comparado a cada tratamento, uma diferença estatisticamente significativa foi encontrada apenas com a carbamazepina para auto-mutilação deliberada. O lítio apresentou uma tendência a ser melhor do que as outras substâncias ativas da comparação, com pequena variação estatística entre os resultados.

Concluiu-se que na presente revisão da literatura, o lítio mostrou-se um tratamento eficaz para reduzir o risco de suicídio em pessoas com transtornos do humor. Ele pode exercer os seus efeitos anti-suicidas reduzindo as recaídas de transtorno de humor, mas mecanismos adicionais devem também ser considerados, porque existe alguma evidência de que o lítio diminui a agressão e, possivelmente, a impulsividade, que pode ser um outro mecanismo mediando o efeito anti-suicida.

Fonte: BMJ, de 27 de junho de 2013 

NEWS.MED.BR, 2013. BMJ: lítio é eficaz para reduzir risco de suicídio em pacientes com transtorno de humor. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/362754/bmj-litio-e-eficaz-para-reduzir-risco-de-suicidio-em-pacientes-com-transtorno-de-humor.htm>. Acesso em: 20 out. 2019.

Complementos

1 Preventivo: 1. Aquilo que previne ou que é executado por medida de segurança; profilático. 2. Na medicina, é qualquer exame ou grupo de exames que têm por objetivo descobrir precocemente lesão suscetível de evolução ameaçadora da vida, como as lesões malignas. 3. Em ginecologia, é o exame ou conjunto de exames que visa surpreender a presença de lesão potencialmente maligna, ou maligna em estágio inicial, especialmente do colo do útero.
2 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
3 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
Gostou do artigo? Compartilhe!