Gostou do artigo? Compartilhe!

Abelacimabe demonstra potencial de inibição do fator XI na prevenção de tromboembolismo venoso

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os resultados de um ensaio aberto de grupo paralelo sugerem que o uso de abelacimab, um novo anticorpo1 contra fator XI e XIa totalmente humano, foi associado a uma redução no risco de coágulos sanguíneos após cirurgia, sem aumentar o risco de hemorragia2 em comparação com o padrão atual de cuidado.

O ensaio clínico, que foi publicado no The New England Journal of Medicine, comparou 3 regimes de dosagem de abelacimabe versus enoxaparina, e os resultados indicam que todos os 3 regimes de abelacimabe demonstraram não inferioridade contra a enoxaparina, e 2 dos 3 demonstraram superioridade contra o padrão atual de tratamento.

Leia sobre "Como se dá a coagulação3 sanguínea" e "Hemorragias4".

Essa comparação do abelacimabe com a enoxaparina em pacientes submetidos à cirurgia ortopédica não apenas demonstra a capacidade do abelacimabe de auxiliar na prevenção de coágulos sanguíneos, mas também delineia o papel do fator XI na formação de coágulos após a cirurgia.

“Este sucesso do abelacimabe neste estudo fornece a base para seu uso na prevenção de acidente vascular cerebral5 em pacientes com fibrilação atrial e para o tratamento de trombose venosa profunda6 e embolia7 pulmonar, coágulos nas veias8 da perna e coágulos no pulmão9, em pacientes com câncer”, disse Jeffrey Weitz, MD, pesquisador sênior10 do estudo que também atua como professor de medicina e de bioquímica e ciências biomédicas na McMaster's Michael G. DeGroote School of Medicine e diretor executivo do Instituto de Pesquisa de Trombose11 e Aterosclerose12, em um comunicado.

No artigo, os pesquisadores abordam como o papel do fator XI na patogênese13 do tromboembolismo14 venoso pós-operatório é incerto. O abelacimabe é um anticorpo1 monoclonal que se liga ao fator XI e o bloqueia na conformação do zimogênio (precursor inativo).

Neste ensaio aberto de grupo paralelo, os pesquisadores designaram aleatoriamente 412 pacientes submetidos à artroplastia total do joelho para receber um dos três regimes de abelacimabe (30 mg, 75 mg ou 150 mg) administrado no pós-operatório em uma única dose intravenosa ou para receber 40 mg de enoxaparina administrada por via subcutânea15 uma vez ao dia.

O resultado de eficácia primário foi tromboembolismo14 venoso, detectado por venografia obrigatória da perna envolvida na operação ou confirmação objetiva de eventos sintomáticos. O principal resultado de segurança foi um composto de hemorragia2 maior ou hemorragia2 menor clinicamente relevante até 30 dias após a cirurgia.

O tromboembolismo14 venoso ocorreu em 13 de 102 pacientes (13%) no grupo de 30 mg de abelacimabe, 5 de 99 pacientes (5%) no grupo de 75 mg de abelacimabe e 4 de 98 pacientes (4%) no grupo de 150 mg de abelacimabe, em comparação com 22 de 101 pacientes (22%) no grupo da enoxaparina.

O regime de 30 mg de abelacimabe foi não inferior à enoxaparina, e os regimes de 75 mg e 150 mg de abelacimabe foram superiores à enoxaparina (P <0,001).

Hemorragia2 ocorreu em 2%, 2% e em nenhum dos pacientes nos grupos de 30 mg, 75 mg e 150 mg de abelacimabe, respectivamente, e em nenhum dos pacientes no grupo de enoxaparina.

Este estudo mostrou que o fator XI é importante para o desenvolvimento de tromboembolismo14 venoso pós-operatório. A inibição do fator XI com uma única dose intravenosa de abelacimabe após artroplastia total do joelho foi eficaz na prevenção de tromboembolismo14 venoso e foi associada a um baixo risco de hemorragia2.

Veja também sobre "Diferenças entre trombose venosa profunda6 e tromboembolismo14 venoso", "Hemorragia2 grave" e "Coagulopatias".

 

Fontes:
Practical Cardiology, notícia publicada em 19 de julho de 2021.
The New England Journal of Medicine, 12 de agosto de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Abelacimabe demonstra potencial de inibição do fator XI na prevenção de tromboembolismo venoso. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/1399765/abelacimabe-demonstra-potencial-de-inibicao-do-fator-xi-na-prevencao-de-tromboembolismo-venoso.htm>. Acesso em: 26 out. 2021.

Complementos

1 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
2 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
3 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
4 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
5 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
6 Trombose Venosa Profunda: Caracteriza-se pela formação de coágulos no interior das veias profundas da perna. O que mais chama a atenção é o edema (inchaço) e a dor, normalmente restritos a uma só perna. O edema pode se localizar apenas na panturrilha e pé ou estar mais exuberante na coxa, indicando que o trombo se localiza nas veias profundas dessa região ou mais acima da virilha. Uma de suas principais conseqüências a curto prazo é a embolia pulmonar, que pode deixar seqüelas ou mesmo levar à morte. Fatores individuais de risco são: varizes de membros inferiores, idade maior que 40 anos, obesidade, trombose prévia, uso de anticoncepcionais, terapia de reposição hormonal, entre outras.
7 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
8 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
9 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
10 Sênior: 1. Que é o mais velho. 2. Diz-se de desportistas que já ganharam primeiros prêmios: um piloto sênior. 3. Diz-se de profissionais experientes que já exercem, há algum tempo, determinada atividade.
11 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
12 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
13 Patogênese: Modo de origem ou de evolução de qualquer processo mórbido; nosogenia, patogênese, patogenesia.
14 Tromboembolismo: Doença produzida pela impactação de um fragmento de um trombo. É produzida quando este se desprende de seu lugar de origem, e é levado pela corrente sangüínea até produzir a oclusão de uma artéria distante do local de origem do trombo. Esta oclusão pode ter diversas conseqüências, desde leves até fatais, dependendo do tamanho do vaso ocluído e do tipo de circulação do órgão onde se deu a oclusão.
15 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
Gostou do artigo? Compartilhe!