Gostou do artigo? Compartilhe!

Tratamento a longo prazo e com altas doses de inibidores da bomba de prótons está associado ao risco aumentado de fraturas ósseas, segundo artigo publicado no JAMA

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Para determinar a associação entre uso de inibidores de bomba de prótons e risco de fraturas de ossos da bacia, foi realizado um estudo na Universidade da Pensivânia. Publicado no JAMA (Journal of the American Medical Association) deste mês, o estudo mostrou que este medicamento interfere na absorção de cálcio, por induzir à hipocloridria, e também reduz a reabsorção óssea, aumentando o risco de fraturas em ossos da bacia. 

Cientistas norte-americanos examinaram prontuários médicos de 145 mil pessoas com mais de 50 anos e confirmaram resultados de estudos anteriores sobre efeitos danosos do uso prolongado e em doses altas de inibidores da bomba de prótons. O estudo mostrou que este medicamento pode inibir a absorção de cálcio pelo organismo e, conseqüentemente, causar enfraquecimento progressivo dos ossos.

Os pesquisadores descobriram que, estatisticamente, a chance de uma dessas pessoas ter uma fratura1 de bacia era 44% maior se fazia uso de um inibidor de bomba de prótons por mais de um ano. Quanto mais longo o tempo de consumo do medicamento, maior a probabilidade de fraturas. Milhões de pessoas fazem uso deste tipo de medicamento para controle da acidez no estômago2. Entre os mais usados está o omeprazol.

Apesar da abrangência da pesquisa e da coincidência dos seus resultados com os de outros estudos anteriores, ainda é recomendado cautela sobre o assunto. O cientista Ken McColl, professor de gastroenterologia da Universidade de Glasgow, na Escócia, diz que o trabalho da equipe da Universidade da Pensilvânia não prova uma relação de causa e efeito entre o uso dos antiácidos3 e o enfraquecimento dos ossos e acredita na possibilidade de distorções na conclusão da pesquisa.

Fonte: JAMA

NEWS.MED.BR, 2006. Tratamento a longo prazo e com altas doses de inibidores da bomba de prótons está associado ao risco aumentado de fraturas ósseas, segundo artigo publicado no JAMA. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/10447/tratamento-a-longo-prazo-e-com-altas-doses-de-inibidores-da-bomba-de-protons-esta-associado-ao-risco-aumentado-de-fraturas-osseas-segundo-artigo-publicado-no-jama.htm>. Acesso em: 1 jun. 2020.

Complementos

1 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
2 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
3 Antiácidos: É uma substância que neutraliza o excesso de ácido, contrariando o seu efeito. É uma base que aumenta os valores de pH de uma solução ácida.
Gostou do artigo? Compartilhe!