Gostou do artigo? Compartilhe!

FDA: Dúvidas sobre o uso de Rosiglitazona relacionado ao risco de infarto do miocárdio e morte cardiovascular

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em maio de 2007 foi publicada, no The New England Journal of Medicine (NEJM), uma meta-análise intitulada "Effect of Rosiglitazone1 on the Risk of Myocardial Infarction and Death from Cardiovascular Causes". Ela sugere que a Rosiglitazona, medicamento utilizado para o tratamento oral do Diabetes Mellitus2 tipo 2, aumenta o risco de infarto do miocárdio3 e de morte por causa cardiovascular. Os autores da meta-análise são Steven Nissen e Kathy Wolski.

Em contraste, análises parciais do estudo longitudinal de longo prazo conhecido como RECORD (Rosiglitazone1 Evaluated for Cardiac Outcomes and Regulation of Glycemia in Diabetes4) e coordenado por Philip Home, também publicado no NEJM, não conseguiu evidenciar nenhuma associação direta entre o uso de rosiglitazona e complicações cardiovasculares.

Em maio, o FDA não concluiu se os riscos cardiovasculares eram realmente maiores com o uso de Rosiglitazona, mas publicou revisão de dados clínicos que avalia o risco potencial aumentado de eventos cardiovasculares isquêmicos em pacientes que utilizam o medicamento.

Em agosto de 2007, publicou um alerta sobre revisões de informações para prescrição de maleato de rosiglitazona (nome comercial Avandia, Avandamet e Avandaryl), que incluem modificações na bula e atualizações de cuidados, precauções e contra-indicações para enfatizar que a rosiglitazona pode causar ou exacerbar a insuficiência cardíaca5, particularmente em certas populações de pacientes.

Fonte: Food and Drug Administration

NEWS.MED.BR, 2007. FDA: Dúvidas sobre o uso de Rosiglitazona relacionado ao risco de infarto do miocárdio e morte cardiovascular. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/12033/fda-duvidas-sobre-o-uso-de-rosiglitazona-relacionado-ao-risco-de-infarto-do-miocardio-e-morte-cardiovascular.htm>. Acesso em: 17 nov. 2019.

Complementos

1 Rosiglitazone: Medicamento de uso oral para tratamento do diabetes tipo 2. Ele ajuda a tornar as células mais sensíveis à insulina. A insulina pode então transferir a glicose do sangue para dar energia às células. Pertence à classe dos thiazolidinediones.
2 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
3 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
4 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
5 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
Gostou do artigo? Compartilhe!