Gostou do artigo? Compartilhe!

Privação parcial do sono pode contribuir para o ganho de peso no longo prazo: uma revisão sistemática e meta-análise publicada pelo European Journal of Clinical Nutrition

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Desconhece-se se a curta duração do sono contribui de forma causal para o ganho de peso. Estudos que investigam os efeitos da privação parcial do sono (PPS) sobre os componentes do balanço energético relatam achados conflitantes. O objetivo da revisão sistemática e meta-análise realizada por pesquisadores do King's College London foi avaliar os efeitos da PPS sobre a ingestão de energia (IE) e sobre o gasto energético (GE).

Foram usadas informações das bases de dados EMBASE, Medline, Cochrane CENTRAL, Web of Science e Scopus. As diferenças de IE e GE total após PPS em comparação com uma condição de controle foram geradas usando o método de variância inversa com modelos de efeitos aleatórios. Os resultados secundários incluíram a distribuição de macronutrientes1 e a taxa metabólica de repouso. A heterogeneidade foi quantificada com a estatística I2.

Resultados: dezessete estudos (n=496) foram elegíveis para inclusão na revisão sistemática e 11 estudos (n=172) forneceram dados suficientes para serem incluídos nas metanálises. A ingestão de energia (IE) foi significativamente aumentada em 385 kcal (intervalo de confiança de 95%: 252 a 517, P<0,00001) após a PPS em comparação com a condição de controles. Não houve alteração significativa de gasto energético (GE) total ou na taxa metabólica de repouso como resultado da PPS. O aumento observado na IE foi acompanhado por uma ingestão significativamente maior de gorduras e menor de proteínas2, mas sem efeito na ingestão de carboidratos.

Concluiu-se que os efeitos combinados dos estudos com dados extraíveis indicaram que a PPS resultou em aumento da ingestão de calorias3 (ingestão energética) sem efeito sobre o gasto energético (GE), levando a um balanço energético líquido positivo que, no longo prazo, pode contribuir para o ganho de peso.

Leia também sobre "Insônia", "Síndrome4 do comer noturno", "Distúrbios do sono", "Como é o sono?" e "Melatonina".

 

Fonte: European Journal of Clinical Nutrition, publicação online de 2 de novembro de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2017. Privação parcial do sono pode contribuir para o ganho de peso no longo prazo: uma revisão sistemática e meta-análise publicada pelo European Journal of Clinical Nutrition. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1297093/privacao-parcial-do-sono-pode-contribuir-para-o-ganho-de-peso-no-longo-prazo-uma-revisao-sistematica-e-meta-analise-publicada-pelo-european-journal-of-clinical-nutrition.htm>. Acesso em: 21 nov. 2019.

Complementos

1 Macronutrientes: Os macronutrientes fornecem as calorias aos alimentos. São eles: carboidratos, proteínas e lipídeos.
2 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
3 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
4 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
Gostou do artigo? Compartilhe!