Gostou do artigo? Compartilhe!

Uso de cocaína e risco de AVC isquêmico em jovens

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Apesar de relatos de casos há muito terem identificado uma associação temporal entre o uso de cocaína e o acidente vascular cerebral1 isquêmico2 (AVCI), poucos estudos epidemiológicos examinaram a associação do consumo de cocaína com o AVCI em adultos jovens em relação ao momento, via e frequência de uso.

Um estudo de caso-controle, de base populacional, com 1090 casos e 1154 controles foi feito para investigar a relação do consumo de cocaína e o início de um AVCI. Os casos de AVC ocorreram entre as idades de 15 e 49 anos, em hospitais de Baltimore, Washington D.C. A análise de regressão logística foi utilizada para avaliar a associação entre o uso de cocaína e o acidente isquêmico2 com e sem ajustes para possíveis fatores de confusão. O trabalho foi publicado pelo periódico Stroke.

Já ter usado cocaína em algum momento não foi associado ao acidente vascular cerebral1, com 28% dos casos e 26% dos controles relatando já terem usado a droga em algum momento da vida. Em contraste, o consumo recente de cocaína, nas últimas 24 horas que antecederam o AVC, foi fortemente associado ao aumento do risco de acidente vascular3. Dos 26 pacientes que usaram cocaína dentro de 24 horas antes do acidente vascular cerebral1, 14 relataram o uso dentro de 6 horas antes do início do evento.

Os dados do presente estudo são consistentes com uma associação causal entre o uso recente de cocaína e o risco de um AVC isquêmico2 em jovens.

 

Fonte: Stroke, publicação online, de 10 de março de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. Uso de cocaína e risco de AVC isquêmico em jovens. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/822964/uso-de-cocaina-e-risco-de-avc-isquemico-em-jovens.htm>. Acesso em: 12 dez. 2019.

Complementos

1 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
2 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
3 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!