Gostou do artigo? Compartilhe!

Corticosteroides sistêmicos para sinusite aguda. Eles realmente aliviam os sintomas?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisa holandesa, coordenada por Roderick P. Venekamp e publicada pelo The Journal of American Medical Association (JAMA), investigou se o uso de corticosteroides orais ou parenterais em pacientes com sinusite1 aguda, em comparação com placebo2 ou drogas anti-inflamatórias não-esteroides (AINEs), realmente aliviam os sintomas3.

As conclusões mostram que com os corticosteroides orais combinados aos antibióticos podem estar associados a benefícios modestos no alívio de curto prazo dos sintomas3 em adultos com sintomas3 graves de sinusite1 aguda, em comparação com o uso apenas de antibióticos. No entanto, o uso de corticosteroides orais como monoterapia não está associado a melhores resultados clínicos em adultos com sinusite1 aguda diagnosticada clinicamente.

Fonte: JAMA, volume 313, número 12, de 24 a 31 de março de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Corticosteroides sistêmicos para sinusite aguda. Eles realmente aliviam os sintomas?. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/749982/corticosteroides-sistemicos-para-sinusite-aguda-eles-realmente-aliviam-os-sintomas.htm>. Acesso em: 14 out. 2019.

Complementos

1 Sinusite: Infecção aguda ou crônica dos seios paranasais. Podem complicar o curso normal de um resfriado comum, acompanhando-se de febre e dor retro-ocular.
2 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!