Gostou do artigo? Compartilhe!

NEJM: causas e momento da morte de prematuros extremos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Compreender as causas e o tempo de morte de prematuros extremos pode orientar os esforços de investigação e informar um melhor aconselhamento de famílias que passam por esta situação.

Foram analisados prospectivamente os dados coletados sobre 6.075 mortes entre 22.248 nascidos vivos, com idade gestacional de 22 0/7 e 28 6/7 semanas, entre recém-nascidos nascidos em hospitais universitários no âmbito do National Institute of Child Health and Human Development Neonatal Research Network. Os pesquisadores compararam causas de mortalidade1 intra-hospitalar, globais e específicas, em três períodos de 2000 a 2011, com ajustes para diferenças iniciais.

O número de mortes por 1.000 nascidos vivos foi de 275 (intervalo de confiança de 95% [IC 95%], 264-285) de 2000 a 2003 e 285 (IC 95%, 275-295) a partir de 2004 a 2007; o número diminuiu para 258 (IC 95%, 248-268), no período de 2008-2011 (P=0,003 para a comparação entre os três períodos). Houve menos mortes pulmonares atribuídas à síndrome2 do desconforto respiratório e à displasia broncopulmonar3 em 2008-2011 do que em 2000-2003 e 2004-2007 (68 [IC 95%, 63 a 74] versus 83 [IC 95%, 77 a 90] e 84 [IC 95%, 78 a 90] por 1.000 nascidos vivos, respectivamente; P = 0,002). Da mesma forma, em 2008-2011, em comparação com 2000-2003, houve quedas em mortes atribuídas à imaturidade (P=0,05), óbitos complicados por infecção4 (P=0,04) ou lesões5 do sistema nervoso central6 (P<0,001); no entanto, houve um aumento no número de mortes atribuídas à enterocolite necrosante7 (30 [IC 95%, de 27 a 34] versus 23 [IC de 95%, de 20 a 27], P=0,03). No geral, 40,4% das mortes ocorreram dentro de 12 horas após o nascimento e 17,3% ocorreram após 28 dias de vida.

Concluiu-se que, de 2000 até 2011, a mortalidade1 global declinou entre prematuros extremos. Mortes relacionadas a causas pulmonares, imaturidade, infecção4 e lesão8 do sistema nervoso central6 diminuíram, enquanto mortes relacionadas à enterocolite necrosante7 aumentaram. O estudo foi financiado pelo National Institutes of Health e publicado pelo The New England Journal of MEdicine (NEJM).

Fonte: The New England Journal of Medicine (NEJM), de 22 de janeiro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. NEJM: causas e momento da morte de prematuros extremos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/740717/nejm-causas-e-momento-da-morte-de-prematuros-extremos.htm>. Acesso em: 19 ago. 2019.

Complementos

1 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Displasia broncopulmonar: Doença pulmonar crônica, de etiologia multifatorial e complexa. Acomete, em geral, os recém-nascidos prematuros submetidos à oxigenioterapia e à ventilação mecânica nos primeiros dias de vida.
4 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
6 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
7 Necrosante: Que necrosa ou que sofre gangrena; que provoca necrose, necrotizante.
8 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!