Gostou do artigo? Compartilhe!

Obesidade e lesão miocárdica subclínica podem estar relacionadas à incidência de insuficiência cardíaca, publicado pelo JACC

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O presente estudo procurou avaliar a associação da obesidade1 com um biomarcador de lesão2 miocárdica subclínica, a troponina T cardíaca, medida por um novo ensaio de alta sensibilidade (hs-cTnT), entre adultos sem doença cardiovascular (DCV) clínica. O trabalho foi publicado pelo Journal of the American College of Cardiology: Heart Failure (JACC).

Evidências laboratoriais sugerem uma relação entre obesidade1 e lesão2 miocárdica que pode desempenhar um papel no desenvolvimento da insuficiência cardíaca3 (IC), mas há dados clínicos limitados sobre essa associação até o momento.

Foram avaliados 9.507 participantes sem DCV, no estudo Atherosclerosis Risk in Communities (ARIC). Os pesquisadores avaliaram a associação do índice de massa corporal4 (IMC5), com níveis altos (≥14 ng/l) e mensuráveis (≥3 ng/l) de hs-cTnT após regressão multivariada. Foram avaliadas ainda as associações independentes e combinadas do IMC5 e dos níveis de hs-cTnT com a incidência6 de insuficiência cardíaca3.

Os resultados mostraram que um IMC5 maior foi independentemente associado a um aumento positivo e linear na probabilidade de níveis altos de hs-cTnT, com obesidade1 grave (IMC5>35 kg/m²) associada a um odds ratio de 2,20 (intervalo de confiança de 95%: 1,59-3,06) para altos níveis de hs-cTnT após os ajustes necessários. Ao longo de 12 anos de acompanhamento, houve 869 eventos incidentes7 de insuficiência cardíaca3. Obesidade1 e hs-cTnT foram ambos associados de forma independente com insuficiência cardíaca3 incidente8 e os indivíduos com obesidade1 grave e altos níveis de hs-cTnT tiveram um risco nove vezes maior de insuficiência cardíaca3 incidente8 (hazard ratio: 9,20 [intervalo de confiança de 95%: 5,67-14,93]) do que os indivíduos com peso normal e níveis de hs-cTnT indetectáveis.

Concluiu-se que os indivíduos sem DCV, com maiores índices de massa corporal têm uma associação independente e linear com lesão2 miocárdica subclínica, avaliada por níveis de hs-cTnT. A obesidade1 e os níveis de hs-cTnT fornecem informações independentes e complementares em relação ao prognóstico9 de risco para a insuficiência cardíaca3 incidente8.

Fonte: JACC Heart Failure, publicação online de outubro de 2014

NEWS.MED.BR, 2014. Obesidade e lesão miocárdica subclínica podem estar relacionadas à incidência de insuficiência cardíaca, publicado pelo JACC. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/586492/obesidade-e-lesao-miocardica-subclinica-podem-estar-relacionadas-a-incidencia-de-insuficiencia-cardiaca-publicado-pelo-jacc.htm>. Acesso em: 17 out. 2019.

Complementos

1 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
2 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
3 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
4 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
5 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
7 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
8 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
9 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
Gostou do artigo? Compartilhe!