Atalho: 5BHXX0E
Gostou do artigo? Compartilhe!

Transplante de pele pode ser esperança para o tratamento do vitiligo, segundo trabalho apresentado na reunião anual da American Academy of Dermatology

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Médico do Centro de Dermatologia do Hospital Henry Ford, em Detroit, o escocês Iltefat Hamzavi apresentou na reunião anual da American Academy of Dermatology, em Miami, uma pesquisa com transplante de células1 saudáveis de pele2 em pacientes com vitiligo3. Os resultados podem ser uma esperança para o tratamento futuro da doença.

O Dr. Iltefat Hamzavi e colaboradores transplantaram células1 saudáveis da pele2 para 32 pacientes com vitiligo3. Os resultados mostram repigmentação em uma média de 52% da cor natural da pele2. Em pacientes com um tipo específico de vitiligo3, esta repigmentação foi de 74% em média.

O procedimento cirúrgico testado é feito com anestesia4 local no Henry Ford Hospital. Os pacientes negros, com vitiligo3 em apenas um lado do corpo e em uma área específica do organismo apresentam os melhores benefícios com a nova técnica.

O novo procedimento é um transplante de melanócitos5 e queratinócitos6 em pacientes com vitiligo3 (MKTP, pela sigla em inglês). Os melanócitos5 são células1 produtoras da melanina7, que confere pigmentação à pele2, enquanto os queratinócitos6 são responsáveis pela síntese da proteína queratina e formam 80% da epiderme8 (camada exterior da pele2). Este procedimento representa uma tentativa de transplantar células1 normais com cor, originadas do próprio paciente, nas manchas brancas.

Estes são resultados iniciais de um estudo ainda com poucos participantes, mas pode representar uma esperança de tratamento para vários pacientes com vitiligo3.

Fonte: Anual Meeting News (American Academy of Dermatology)

NEWS.MED.BR, 2010. Transplante de pele pode ser esperança para o tratamento do vitiligo, segundo trabalho apresentado na reunião anual da American Academy of Dermatology. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/56625/transplante-de-pele-pode-ser-esperanca-para-o-tratamento-do-vitiligo-segundo-trabalho-apresentado-na-reuniao-anual-da-american-academy-of-dermatology.htm>. Acesso em: 19 nov. 2019.

Complementos

1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Vitiligo: Doença benigna da pele, caracterizada pela ausência de pigmentação normal nas regiões afetadas, frequentemente face e mãos. Hoje já há tratamento, porém este é demorado e com resultados variáveis de pessoa para pessoa. CÓDIGO INTERNACIONAL DE DOENÇAS (CID): L80- VITILIGO.
4 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
5 Melanócitos: Células da pele que produzem o pigmento melanina.
6 Queratinócitos: Queratinócitos ou ceratinócitos são células diferenciadas do tecido epitelial (pele) e invaginações da epiderme para a derme (como os cabelos e unhas) de animais terrestres responsáveis pela síntese da queratina.
7 Melanina: Cada uma das diversas proteínas de cor marrom ou preta, encontrada como pigmento em vegetais e animais.
8 Epiderme: Camada superior ou externa das duas camadas principais da pele.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

18/03/2010 - Complemento feito por Helena
Re: Transplante de pele pode ser esperança para o tratamento do vitiligo, segundo trabalho apresentado na reunião anual da American Academy of Dermatology
Olá,
Muito bom o artigo, sempre que tiverem novidades sobre vitiligo gostaria de receber. Tenho vitiligo por este motivo o meu interesse.Com relação a matéria acima, voces não teriam fotos deste procedimento para que eu possa ter uma idéia mais precisa de como seria esse transplante de pele.

Desde de já agradeço,
helena

  • Entrar
  • Assinar