Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA Neurology: hipertensão arterial em pessoas de meia idade pode aumentar o risco de perda cognitiva e demência

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A hipertensão arterial1 é uma causa potencialmente tratável de declínio cognitivo2 e demência3, mas sua maior influência sobre a cognição4 pode ocorrer na meia-idade.

Com o objetivo de avaliar a associação entre a hipertensão5 na meia idade (48 a 67 anos de idade) e a alteração no desempenho cognitivo6 durante 20 anos, foi realizada uma pesquisa conhecida como The Atherosclerosis Risk in Communities Neurocognitive Study (1990-1992 até 2011-2013). A coorte7 foi submetida a avaliações em centros de pesquisa no condado de Washington, Maryland, Forsyth County, Carolina do Norte, Jackson, Mississippi e nos subúrbios de Minneapolis e Minnesota. De 13.476 participantes afro-americanos e brancos, com dados cognitivos8 no início do estudo, 58% completaram o acompanhamento de 20 anos da pesquisa.

Hipertensão5, pré-hipertensão5 ou pressão arterial9 normal na visita 2 (1990-1992) constituiu a exposição primária. Pressão arterial sistólica10 na visita 2 ou 5 (2011-2013) e indicação de tratamento na consulta 2 com base no Eighth Joint National Committee (JNC-8) Hypertension Guideline constituíram as exposições secundárias.

Resultados pré-estabelecidos incluíram a mudança nos 20 anos no escore dos testes Delayed Word Recall Test, Digit Symbol Substitution Test e Word Fluency Test e na cognição4 global.

Durante 20 anos, a presença de hipertensão5 no início do estudo foi associada a um declínio cognitivo2 adicional de 0,056 pontos de escore z global (IC 95%, -0,100 a -0,012) e de pré-hipertensão5 foi associada não significativamente com 0,040 pontos de escore z global de declínio (IC 95%, - 0,085 a -0,005), em comparação com a pressão arterial9 (PA) normal. Indivíduos com hipertensão5 que usaram anti-hipertensivos tiveram menos declínio durante os 20 anos do estudo do que os indivíduos hipertensos não tratados (-0,050 [IC de 95%, -0,003 a -0,097] versus -0,079 [IC de 95%, -0,156 a -0,002] pontos de escore z global). Ter uma indicação para o início do tratamento anti-hipertensivo, de acordo com o JNC-8, na linha de base, foi associado a um maior declínio cognitivo2 durante os 20 anos (-0,044 [IC de 95%, -0,085 a -0,003] pontos de escore z global) do que não ter uma indicação. Observou-se modificação de efeito por raça na análise contínua da pressão sistólica11 (p=0,01), com cada aumento de 20 mmHg da linha de base associado a um declínio adicional de 0,048 (IC 95%, -0,074 a -0,022) pontos de escore z na cognição4 global em brancos, mas não em afro-americanos (declínio, -0,020 [IC de 95%, -0.026 a 0,066] pontos). PA sistólica no final do seguimento não foi associada com os últimos 20 anos de mudança cognitiva12 em ambos os grupos. Métodos para explicar viés devido a atritos fortaleceu a magnitude de algumas associações.

Concluiu-se que a hipertensão arterial1 na meia idade e a pressão arterial sistólica10 elevada na meia idade mais avançada, mas não na vida senil, foi associada a um maior declínio cognitivo2 durante os 20 anos do estudo. A maior queda foi encontrada com a pressão arterial9 mais alta na meia idade em brancos, mais do que em afro-americanos.

Fonte: JAMA Neurology, publicação online, de 4 de agosto de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. JAMA Neurology: hipertensão arterial em pessoas de meia idade pode aumentar o risco de perda cognitiva e demência. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/560087/jama-neurology-hipertensao-arterial-em-pessoas-de-meia-idade-pode-aumentar-o-risco-de-perda-cognitiva-e-demencia.htm>. Acesso em: 16 dez. 2019.

Complementos

1 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
2 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
3 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
4 Cognição: É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento, percepção, classificação, reconhecimento e compreensão para o julgamento através do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas.
5 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
6 Desempenho cognitivo: Desempenho dos processos de aprendizagem e de aquisição de conhecimento através da percepção.
7 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
8 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
9 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
10 Pressão arterial sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco, é também chamada de pressão máxima.
11 Pressão sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco. É também chamada de pressão máxima.
12 Cognitiva: 1. Relativa ao conhecimento, à cognição. 2. Relativa ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
Gostou do artigo? Compartilhe!