Gostou do artigo? Compartilhe!

Mortalidade cardiovascular, mortalidade por todas as causas e incidência de diabetes após intervenção no estilo de vida de pessoas com intolerância à glicose, dados do Qing Diabetes Prevention Study

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Já é sabido que as intervenções no estilo de vida de pessoas com intolerância à glicose1 reduzem a incidência2 de diabetes mellitus3, mas seus efeitos sobre a mortalidade4 por todas as causas e por doenças cardiovasculares5 não são claros. Foi avaliado o efeito da intervenção de longo prazo no estilo de vida e os resultados de longo prazo entre adultos com intolerância à glicose1 que participaram do Qing Diabetes6 Prevention Study.

O estudo foi um ensaio conjunto e randomizado7 em que 33 clínicas chinesas participaram com 577 adultos portadores de intolerância à glicose1. Os indivíduos foram randomizados (1:1:1:1) para um grupo controle ou grupos de intervenção de estilo de vida (dieta ou exercício ou ambos). Os pacientes foram recrutados em 1986 e a fase de intervenção durou seis anos. Em 2009, os participantes foram seguidos e os resultados preliminares de mortalidade4 cardiovascular, mortalidade4 por todas as causas e a incidência2 de diabetes6 na população com intenção de tratamento foram avaliados.

Dos 577 pacientes, 439 foram atribuídos ao grupo de intervenção e 138 ao grupo de controle (um recusou o exame inicial). 542 (94%) de 576 participantes tinham dados completos para a mortalidade4 e 568 (99%) contribuíram para a análise de dados. 174 participantes morreram durante os 23 anos de follow-up (121 no grupo de intervenção versus 53 no grupo controle). A incidência2 cumulativa de mortalidade4 por doença cardiovascular foi 11,9% (IC 95% 8,8-15) no grupo de intervenção versus 19,6% (12,9-26,3) no grupo controle (hazard ratio [HR] 0,59, IC 95% 0,36-0,96, p=0,033). A mortalidade4 por todas as causas foi de 28,1% (IC 95% 23,9-32,4) versus 38,4% (30,3-46,5; HR 0,71, IC 95% 0,51-0,99, p=0, 049). A incidência2 de diabetes6 foi de 72,6% (68,4-76,8) versus 89,9% (84,9-94,9; HR 0,55, IC 95% 0,40-0,76; p=0,001).

Um programa de intervenção de estilo de vida de seis anos para chineses com intolerância à glicose1 reduziu a mortalidade4 por doenças cardiovasculares5 e por todas as causas e a incidência2 de diabetes6. Estes resultados enfatizam os benefícios clínicos de longo prazo da intervenção no estilo de vida para pacientes8 com intolerância à glicose1 e fornecem mais justificativas para a adoção de mudanças saudáveis nos hábitos diários como medida de saúde9 pública para controlar as consequências do diabetes mellitus3.

Fonte: The Lancet Diabetes6 & Endocrinology, volume 2, número 6, de junho de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. Mortalidade cardiovascular, mortalidade por todas as causas e incidência de diabetes após intervenção no estilo de vida de pessoas com intolerância à glicose, dados do Qing Diabetes Prevention Study. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/546327/mortalidade-cardiovascular-mortalidade-por-todas-as-causas-e-incidencia-de-diabetes-apos-intervencao-no-estilo-de-vida-de-pessoas-com-intolerancia-a-glicose-dados-do-qing-diabetes-prevention-study.htm>. Acesso em: 14 jul. 2020.

Complementos

1 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
2 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
3 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
7 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
8 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!