Gostou do artigo? Compartilhe!

Início precoce da puberdade nas meninas está ligado à obesidade, em artigo publicado pela Pediatrics

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Meninas norte-americanas estão entrando na puberdade em idade mais jovem do que no passado, mas os pesquisadores ainda não tinham sido capazes de identificar a causa. Um estudo longitudinal, publicado pela revista Pediatrics, sugere que o índice de massa corporal1 (IMC2) mais elevado desempenhe um papel importante no desenvolvimento precoce da mama3 em meninas brancas não-hispânicas.

"Este estudo demonstra que um IMC2 alto é um fator importante na maturação precoce de meninas brancas não-hispânicas", escreve Frank Biro, principal autor do estudo e diretor de pesquisa de medicina de transição e do adolescente no Cincinnati Children's Hospital Medical Center, em Ohio.

Este artigo contribuiu para reforçar os resultados inquietantes de que a idade precoce de início do desenvolvimento das mamas4 está em sintonia com a epidemia de obesidade5, embora não a explique inteiramente, escreve o Dr. Herman-Giddens, professor adjunto do Departamento de Saúde6 Materno-Infantil da Gillings School of Global Public Health, da Universidade de Carolina do Norte, em Chapel Hill.

O fato de as meninas estarem sendo submetidas à maturação mais precoce tem implicações clínicas importantes. Por exemplo, aquelas que atingem a puberdade mais cedo do que seus pares podem estar em risco aumentado de depressão, de baixa auto-estima, de envolvimento em abuso de drogas e em relações sexuais precoces. Além disso, os efeitos em cascata de uma maturação precoce estende-se à idade adulta, incluindo o aumento do risco de câncer7 de mama3 e de ovário8.

Os pesquisadores acompanharam 1.239 meninas de Greater Cincinnati, cidade de Nova Iorque, e da baía de San Francisco. As meninas tinham idades entre 6 e 8 anos no momento da inscrição no estudo. Médicos especialistas examinaram as meninas em intervalos regulares durante 7 anos, de 2004 a 2011, avaliando o desenvolvimento da mama3 através da observação e da palpação9. Eles, então, determinaram percentis de IMC2 e escore Z, utilizando-se os gráficos de crescimento do Centers for Disease Control and Prevention de 2000.

No início do estudo, 39% das meninas negras tinham um IMC2 no percentil 85 ou superior, assim como 44% das meninas latino-americanas, 26% das meninas brancas não-hispânicas e 12% das meninas asiáticas.

Os pesquisadores descobriram que o início do desenvolvimento das mamas4, definido por atingir o estágio 2 ou superior da classificação dos cinco estágios de desenvolvimento mamário, diferem pela localização geográfica, raça/etnia e IMC2 no início do estudo.

A idade média e mediana de desenvolvimento da mama3 variou por raça e etnia. Meninas negras começaram a desenvolver seios10 em uma idade média de 8,8 anos; enquanto hispânicas, brancas não-hispânicas e asiáticas desenvolveram suas mamas4 em idades medianas de 9,3, 9,7 e 9,7 anos, respectivamente.

Quando os pesquisadores examinaram o momento de desenvolvimento da mama3 e o IMC2, eles descobriram que, uma vez que o IMC2 aumentava acima do percentil 50, a probabilidade de desenvolvimento precoce das mamas4 aumentava, em relação às meninas com IMC2 abaixo do percentil 50 (P =0,001). Os pesquisadores fizeram ajustes para raça/etnia e local.

Além disso, os autores observaram que o início do desenvolvimento da mama3 em meninas brancas ocorreu em idades mais jovens do que o registrado em publicações anteriores, mas que as meninas negras continuam a apresentar o desenvolvimento de mama3 mais cedo do que as meninas brancas. Grande parte da diferença no tempo de desenvolvimento das mamas4 em meninas brancas não-hispânicas, entre este estudo e os anteriores, é provavelmente resultado do IMC2 mais elevado na população do estudo, segundo comentaram os autores.

Os pesquisadores concluíram que ter um IMC2 mais elevado é um importante fator para o início mais precoce da fase 2 de desenvolvimento das mamas4, embora outras mudanças muito mais complexas possam estar envolvidas, tais como fatores genéticos, certas condições intra-uterinas, exposição à dieta rica em carne e laticínios, baixa ingestão de fibras, estresse familiar excessivo, pais ausentes, resistência à insulina11, localização geográfica, entre outros.

Fonte: Pediatrics, publicação online de 4 de novembro de 2013

NEWS.MED.BR, 2013. Início precoce da puberdade nas meninas está ligado à obesidade, em artigo publicado pela Pediatrics. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/506674/inicio-precoce-da-puberdade-nas-meninas-esta-ligado-a-obesidade-em-artigo-publicado-pela-pediatrics.htm>. Acesso em: 19 set. 2019.

Complementos

1 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
2 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
3 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
4 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
5 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
9 Palpação: Ato ou efeito de palpar. Toque, sensação ou percepção pelo tato. Em medicina, é o exame feito com os dedos ou com a mão inteira para explorar clinicamente os órgãos e determinar certas características, como temperatura, resistência, tamanho etc.
10 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
11 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
Gostou do artigo? Compartilhe!