Atalho: 6USSUUM
Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA: uso de suplementos de ácido fólico no pré-natal foi associado a menor risco de autismo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O uso de ácido fólico no pré-natal pode reduzir o risco de defeitos do tubo neural1 em crianças, mas não foi determinado se ele protege contra outras desordens do neurodesenvolvimento. Para avaliar a associação entre o uso materno de suplementos de ácido fólico no pré-natal e o risco posterior de transtornos do espectro do autismo (ASD), tais como autismo, síndrome2 de Asperger, distúrbio difuso do desenvolvimento não-especificado de outra maneira (PDD-NOS) em crianças, foi realizado um estudo publicado pelo periódico The Journal of the American Medical Association (JAMA).

A amostra da pesquisa prospectiva foi de 85.176 crianças, na coorte3 denominada Norwegian Mother and Child Cohort Study (MoBa), de base populacional. As crianças nasceram entre 2002 e 2008; no final do acompanhamento, em 31 de março de 2012, a faixa etária era de 3,3 a 10,2 anos (média de 6,4 anos). A exposição de interesse primário foi a utilização de ácido fólico de quatro semanas antes até oito semanas após o início da gestação, definido como o primeiro dia do último período menstrual antes da concepção4. As análises estatísticas foram ajustadas para o nível de educação materna, ano de nascimento e paridade. O principal parâmetro medido foi o diagnóstico5 confirmado por um especialista de transtorno do espectro do autismo (ASD).

Ao final do acompanhamento, 270 crianças da amostra do estudo tinham sido diagnosticadas com ASD: 114 com autismo, 56 com síndrome2 de Asperger e 100 com PDD-NOS. Nas crianças cujas mães tomaram ácido fólico, 0,10% (64/61.042) tinham transtorno autista, em comparação com 0,21% (50/24.134), nas não expostas ao ácido fólico. Não foi encontrada associação com a síndrome2 de Asperger ou PDD-NOS, mas a significância foi limitada. Análises similares para o uso de suplementos de óleo de peixe no pré-natal não apresentaram tal associação com transtorno autista, embora o uso de óleo de peixe tenha sido associado às mesmas características maternas do uso de ácido fólico.

Concluiu-se que o uso pré-natal de suplementos de ácido fólico foi associado a um menor risco de autismo nesta coorte3. Embora estes resultados não possam estabelecer a causalidade, eles dão suporte à suplementação6 de ácido fólico no pré-natal.

Fonte: The Journal of the American Medical Association – JAMA, de 13 de fevereiro de 2013

NEWS.MED.BR, 2013. JAMA: uso de suplementos de ácido fólico no pré-natal foi associado a menor risco de autismo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/338429/jama-uso-de-suplementos-de-acido-folico-no-pre-natal-foi-associado-a-menor-risco-de-autismo.htm>. Acesso em: 17 set. 2019.

Complementos

1 Tubo neural: Estrutura embrionária que dará origem ao cérebro e à medula espinhal. Durante a gestação humana, o tubo neural dá origem a três vesículas: romboencéfalo, mesencéfalo e prosencéfalo.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
4 Concepção: O início da gravidez.
5 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
6 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
Gostou do artigo? Compartilhe!