Gostou do artigo? Compartilhe!

NEJM: rosuvastatina reduz o LDL colesterol em 50% e os níveis de PCR em cerca de 37% nos indivíduos estudados, contribuindo para a prevenção de eventos cardiovasculares

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Níveis elevados de proteína C reativa predizem eventos cardiovasculares. Sabemos que as estatinas reduzem os níveis de proteína C reativa (PCR1) e de colesterol2. No JUPITER Study Group, publicado na revista científica New England Journal of Medicine, pesquisadores levaram em consideração que as pessoas com níveis elevados de PCR1 sem hiperlipidemia3 poderiam se beneficiar do tratamento com estatinas e concluíram que a rosuvastatina reduziu o LDL colesterol4 em 50% e os níveis de PCR1 em cerca de 37% nos indivíduos estudados.

Participaram do estudo randomizado5 17.802 homens e mulheres aparentemente saudáveis com LDL colesterol4 abaixo de 130mg/dl e níveis de PCR1 igual ou maior que 2,0mg/l. Eles recebiam ou 20mg de rosuvastatina diariamente ou placebo6. Foram observadas as ocorrências de infarto do miocárdio7, derrame8 cerebral, revascularização arterial, hospitalização por angina9 instável ou morte por causas cardiovasculares.

Os resultados mostraram que a rosuvastatina reduziu o LDL colesterol4 em 50% e os níveis de PCR1 em cerca de 37% nos participantes do estudo que receberam esta medicação.

Fonte: New England Journal of Medicine de 9 de novembro de 2008

NEWS.MED.BR, 2008. NEJM: rosuvastatina reduz o LDL colesterol em 50% e os níveis de PCR em cerca de 37% nos indivíduos estudados, contribuindo para a prevenção de eventos cardiovasculares. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/26160/nejm-rosuvastatina-reduz-o-ldl-colesterol-em-50-e-os-niveis-de-pcr-em-cerca-de-37-nos-individuos-estudados-contribuindo-para-a-prevencao-de-eventos-cardiovasculares.htm>. Acesso em: 18 nov. 2019.

Complementos

1 PCR: Reação em cadeia da polimerase (em inglês Polymerase Chain Reaction - PCR) é um método de amplificação de DNA (ácido desoxirribonucleico).
2 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
3 Hiperlipidemia: Condição em que os níveis de gorduras e colesterol estão mais altos que o normal.
4 LDL colesterol: Do inglês low-density lipoprotein cholesterol, colesterol de baixa densidade ou colesterol ruim.
5 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
6 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
7 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
8 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
9 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
Gostou do artigo? Compartilhe!