Gostou do artigo? Compartilhe!

Enxaqueca pode reduzir em 30% o risco de câncer de mama invasivo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Artigo publicado na revista Cancer1 Epidemiology, Biomarkers and Prevention relata que mulheres na pós-menopausa2 com diagnóstico3 clínico de enxaqueca4 têm risco 30% menor de desenvolver câncer1 de mama5, principalmente os tumores com receptores hormonais6 positivos. Esta relação pode ser explicada pelos níveis de estrogênio do organismo.

Pesquisadores americanos do Fred Hutchinson Cancer1 Research Center, em Seattle, estudaram a relação entre enxaqueca4 e risco de câncer1 de mama5 invasivo em mulheres na pós-menopausa2. Estavam envolvidas no estudo 1.199 mulheres com diagnóstico3 de carcinoma7 ductal, 739 com carcinoma7  lobular e 1474 controles (sem diagnóstico3 de tumor8 de mama5) com idades entre 55 e 79 anos.

Os resultados mostraram que as mulheres com diagnóstico3 clínico de enxaqueca4 têm risco reduzido de desenvolver carcinoma7 ductal e carcinoma7 lobular. Esta associação está primariamente limitada a tumores com receptores hormonais6 positivos e foi observada tanto em mulheres que usavam medicações para tratar a enxaqueca4, como naquelas que não usavam.

A freqüência de enxaqueca4 varia com o ciclo reprodutivo feminino, devido às suas flutuações hormonais. Geralmente está associada a uma queda nos níveis de estrogênio. A relação entre altos níveis de estrogênio e maior risco de desenvolvimento de câncer1 de mama5 é conhecida. Esta é uma possível explicação para esta correlação.

Este é o primeiro trabalho que faz esta associação, novas pesquisas precisam ser realizadas para confirmar este achado.

Fonte: Cancer1 Epidemiology, Biomarkers and Prevention – Volume 17 de novembro de 2008

NEWS.MED.BR, 2008. Enxaqueca pode reduzir em 30% o risco de câncer de mama invasivo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/26090/enxaqueca-pode-reduzir-em-30-o-risco-de-cancer-de-mama-invasivo.htm>. Acesso em: 15 nov. 2019.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
3 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
4 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
5 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
6 Receptores hormonais: São proteínas que se ligam aos hormônios circulantes, mediando seus efeitos nas células. Os mais estudados em tumores de mama são os receptores de estrogênio e os receptores de progesterona, por exemplo.
7 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
8 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
Gostou do artigo? Compartilhe!