Atalho: 60CDY6R
Gostou do artigo? Compartilhe!

National Lipid Association: novo protocolo de rastreamento de doenças ateroscleróticas em crianças

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A National Lipid Association (NLA) sugeriu recentemente novas diretrizes de rastreamento para a hipercolesterolemia1 familiar (HF) em crianças. Esta condição faz parte de um grupo de doenças hereditárias genéticas que levam ao aumento do risco tanto para dislipidemias, como para doenças cardíacas.

Existem duas formas de hipercolesterolemia1 familiar: a homozigótica2 e a heterozigótica. Na primeira, a herança veio dos dois pais, é mais grave, mais rara, acometendo cerca de um indivíduo em um milhão. Na segunda, a herança veio de apenas um dos pais, é mais leve e ocorre em cerca de 1 em cada 500 indivíduos, podendo chegar em algumas populações a 1 em 100 indivíduos, como nos canadenses franceses.

A HF é mais prevalente do que várias outras doenças da infância, incluindo fibrose cística3, diabetes tipo 14 e Síndrome de Down5. Ela permanece significativamente subdiagnosticada e subtratada.

As novas diretrizes da National Lipid Association (NLA) recomendam a triagem para todas as crianças entre 9 e 11 anos de idade, fazendo o perfil lipídico6.

A NLA continua recomendando, assim como a American Heart Association e a American Academy of Pediatrics, que crianças a partir dos 2 anos de idade sejam rastreadas com um perfil lipídico6 em jejum se forem consideradas de maior risco para o desenvolvimento de doença cardíaca precoce. Estas crianças de alto risco incluem aquelas com história familiar de doença cardíaca precoce, histórico familiar de colesterol7 alto, crianças com cardiopatia congênita8, diabetes9, hipertensão arterial10, sobrepeso11 ou obesidade12, e tabagismo ou exposição passiva ao cigarro.

O diagnóstico13 de HF deve ser suspeitado se o LDL colesterol14 é igual ou superior a 160 mg/dL15 ou o nível de colesterol7 não-HDL16 é de 190 mg/dL15 ou superior. Uma repetição do perfil lipídico6 em jejum deve ser realizada para avaliar a resposta a mudanças na dieta e no estilo de vida.

O médico generalista e o pediatra devem ser responsáveis pelo rastreamento e diagnóstico13 da HF. O tratamento deve ser feito em conjunto com o endocrinologista17. O tratamento sempre começa com mudanças no estilo de vida e na alimentação, incluindo uma dieta de baixa caloria18, com pouca gordura saturada19. O aumento das atividades físicas, o alcance e a manutenção de um peso corporal saudável são importantes para diminuir o risco de aparecimento precoce da aterosclerose20.

O tratamento com medicamentos deve ser considerado se o LDL21 permanece igual ou superior a 190 mg/dL15, apesar de vários meses de mudanças na dieta e no estilo de vida. Para algumas crianças, o valor do LDL21 terá de ser menor se são consideradas de maior risco para doenças cardíacas precoces. As estatinas são os medicamentos de escolha. Existem cinco estatinas aprovadas para uso a partir dos dez anos de idade e uma delas aprovada para uso a partir dos oito anos de idade. Ensaios clínicos22 com follow-up de média duração têm mostrado que as estatinas são seguras e eficazes em crianças.

Causas secundárias de hiperlipidemia23 devem ser pesquisadas, incluindo a avaliação do hipotireoidismo24 e da síndrome nefrótica25.

Fontes:

Journal of Clinical Lipidology

National Lipid Association

NEWS.MED.BR, 2011. National Lipid Association: novo protocolo de rastreamento de doenças ateroscleróticas em crianças. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/223960/national-lipid-association-novo-protocolo-de-rastreamento-de-doencas-ateroscleroticas-em-criancas.htm>. Acesso em: 17 out. 2019.

Complementos

1 Hipercolesterolemia: Aumento dos níveis de colesterol do sangue. Está associada a uma maior predisposição ao desenvolvimento de aterosclerose.
2 Homozigótica: Referente a homozigoto. Homozigoto é quando os alelos de um ou mais genes são idênticos. Alelos são genes que ocupam os mesmos loci (locais) nos cromossomos.
3 Fibrose cística: Doença genética autossômica recessiva que promove alteração de glândulas exócrinas do organismo. Caracterizada por infecções crônicas das vias aéreas, que leva ao desenvolvimento de bronquiectasias, insuficiência pancreática exócrina, disfunções intestinais, anormalidades das glândulas sudoríparas e disfunção genitourinária.
4 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
5 Síndrome de Down: Distúrbio genético causado pela presença de um cromossomo 21 a mais, por isso é também conhecida como “trissomia do 21”. Os portadores desta condição podem apresentar retardo mental, alterações físicas como prega palmar transversa (uma única prega na palma da mão, em vez de duas), pregas nas pálpebras, membros pequenos, tônus muscular pobre e língua protrusa.
6 Perfil lipídico: Exame laboratorial que mede colesterol total, triglicérides, HDL. O LDL é calculado por estes resultados. O perfil lipídico é uma das medidas de risco para as doenças cardiovasculares.
7 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
8 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
9 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
10 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
11 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
12 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
13 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
14 LDL colesterol: Do inglês low-density lipoprotein cholesterol, colesterol de baixa densidade ou colesterol ruim.
15 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
16 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como “Bom Colesterol”. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
17 Endocrinologista: Médico que trata pessoas que apresentam problemas nas glândulas endócrinas.
18 Caloria: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc. Carboidratos, proteínas, gorduras e álcool fornecem calorias na dieta. Carboidratos e proteínas têm 4 calorias em cada grama, gorduras têm 9 calorias por grama e álcool têm 7 calorias por grama.
19 Gordura saturada: Ela é encontrada principalmente em produtos de origem animal. Em temperatura ambiente, apresenta-se em estado sólido. Está nas carnes vermelhas e brancas (principalmente gordura da carne e pele das aves e peixes), leite e seus derivados integrais (manteiga, creme de leite, iogurte, nata) e azeite de dendê.
20 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
21 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
22 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
23 Hiperlipidemia: Condição em que os níveis de gorduras e colesterol estão mais altos que o normal.
24 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
25 Síndrome nefrótica: Doença que afeta os rins. Caracteriza-se pela eliminação de proteínas através da urina, com diminuição nos níveis de albumina do plasma. As pessoas com síndrome nefrótica apresentam edema, eliminação de urina espumosa, aumento dos lipídeos do sangue, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!