Gostou do artigo? Compartilhe!

Epilepsia pós-traumática aumenta em 4,5 vezes o risco de demência

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Embora tanto o traumatismo1 craniano quanto a epilepsia2 estejam associados ao risco de demência3 a longo prazo, a epilepsia2 pós-traumática (EPT) só foi avaliada em associação com resultados cognitivos4 a curto prazo.

O objetivo deste estudo, publicado no JAMA Neurology, foi investigar associações de EPT com risco de demência3.

O estudo Atherosclerosis Risk in Communities (ARIC) inscreveu inicialmente participantes de 1987 a 1989 e este estudo de coorte5 prospectivo6 utiliza dados até 31 de dezembro de 2019, com um acompanhamento médio de 25 anos. Os dados foram analisados entre 14 de março de 2023 e 2 de janeiro de 2024. O estudo foi realizado em 4 comunidades dos EUA em Minnesota, Maryland, Carolina do Norte e Mississippi. Dos 15.792 participantes do estudo ARIC inicialmente inscritos, 2.061 eram inelegíveis e 1.173 foram excluídos por falta de dados, resultando em 12.558 participantes incluídos.

Saiba mais sobre "Distúrbio neurocognitivo", "Epilepsias", "Convulsões" e "Traumatismos cranianos".

O traumatismo1 cranioencefálico foi definido por autorrelato e códigos de diagnóstico7 da Classificação Internacional de Doenças (CID). Convulsão8/epilepsia2 foi definida usando códigos da CID. EPT foi definida como diagnóstico7 de convulsão8/epilepsia2 ocorrendo mais de 7 dias após o traumatismo1 cranioencefálico. Traumatismo1 cranioencefálico, convulsão8/epilepsia2 e EPT foram analisados como exposições variáveis no tempo.

A demência3 foi definida por meio de avaliações cognitivas, entrevistas com informantes e códigos da CID e de atestados de óbito9. Modelos ajustados de riscos proporcionais de Cox e de Fine e Gray10 foram utilizados para estimar o risco de demência3.

Os participantes tinham uma idade média (DP) de 54,3 (5,8) anos no início do estudo, 57,7% eram mulheres, 28,2% eram de raça negra autodeclarada, 14,4% foram categorizados como tendo traumatismo1 cranioencefálico, 5,1% como tendo convulsão8/epilepsia2 e 1,2% como tendo EPT. Durante um acompanhamento médio de 25 (percentil 25 a 75, 17-30) anos, 19,9% desenvolveram demência3.

Em modelos totalmente ajustados, em comparação com nenhum traumatismo1 cranioencefálico e nenhuma convulsão8/epilepsia2, a EPT foi associada a 4,56 (IC 95%, 4,49-5,95) vezes o risco de demência3, enquanto convulsão8/epilepsia2 foi associada a 2,61 (IC 95%, 2,21-3,07) vezes o risco e traumatismo1 cranioencefálico a 1,63 (IC 95%, 1,47-1,80) vezes o risco.

O risco de demência3 associado à EPT foi significativamente maior do que o risco associado apenas ao traumatismo1 cranioencefálico e apenas à convulsão8/epilepsia2 não traumática.

Os resultados foram ligeiramente atenuados nos modelos que consideram os riscos concorrentes de mortalidade11 e acidente vascular cerebral12, mas os padrões de associação permaneceram semelhantes.

Em análises secundárias, o risco aumentado de demência3 associado à EPT ocorrido após o primeiro ou segundo traumatismo1 cranioencefálico e após lesão13 leve versus moderada/grave foi semelhante.

O estudo concluiu que, nesta coorte14 comunitária, houve um risco aumentado de demência3 associado à EPT que foi significativamente maior do que o risco associado apenas a traumatismo1 cranioencefálico ou convulsão8/epilepsia2.

Estas descobertas fornecem evidências de que a EPT está associada a resultados a longo prazo e apoia tanto a prevenção de lesões15 na cabeça16 através de medidas de saúde17 pública como mais pesquisas sobre os mecanismos subjacentes e os fatores de risco para o desenvolvimento de EPT, para que os esforços também possam ser concentrados na prevenção de EPT após um traumatismo1 cranioencefálico.

Leia sobre "Encefalopatia18 traumática crônica", "Concussão cerebral19" e "Doenças nervosas degenerativas20".

 

Fonte: JAMA Neurology, publicação em 26 de fevereiro de 2024.

 

NEWS.MED.BR, 2024. Epilepsia pós-traumática aumenta em 4,5 vezes o risco de demência. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1467742/epilepsia-pos-traumatica-aumenta-em-4-5-vezes-o-risco-de-demencia.htm>. Acesso em: 28 mai. 2024.

Complementos

1 Traumatismo: Lesão produzida pela ação de um agente vulnerante físico, químico ou biológico e etc. sobre uma ou várias partes do organismo.
2 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
3 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
4 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
5 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
6 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
7 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
8 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
9 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
10 Gray: Em radioterapia, a dose absorvida é medida em rad (do inglês radiation absorbed dose) e significa a energia (dose) realmente absorvida por um corpo específico. 1 rad equivale a 0,01 joules por kg. Atualmente usa-se o gray (Gy) para expressar dose absorvida no sistema internacional (SI), que corresponde a 100 rad (1 joule de energia para 1 kg de massa).
11 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
12 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
13 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
14 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
15 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
16 Cabeça:
17 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
18 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
19 Concussão cerebral: Perda imediata da consciência no momento de um trauma, mas recuperável em 24 horas ou menos e sem seqüelas. Acompanha-se de amnésia retrógrada e pós-traumática, isto é, o paciente não se recorda do trauma, dos momentos que o antecederam, nem de eventos imediatamente posteriores. Hoje a tendência é considerar a concussão como resultante de um grau leve de lesão axonal difusa.
20 Degenerativas: Relativas a ou que provocam degeneração.
Gostou do artigo? Compartilhe!