Gostou do artigo? Compartilhe!

Suprimir pensamentos preocupantes pode melhorar a saúde mental

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Limpar a mente de pensamentos que trazem medo, em vez de processá-los, às vezes pode ser bom para a nossa saúde1 mental, apontou um estudo publicado na revista Science Advances.

Em vez de recordar e focar nesses pensamentos que despertam medo, pode ser útil evitar essas imaginações para aumentar o nosso bem-estar e evitar sintomas2 de problemas de saúde1 mental, como depressão ou TEPT.

No final da década de 1980, os cientistas descobriram que as pessoas que foram inicialmente solicitadas a evitar pensar em ursos brancos e, mais tarde, a pensar neles, tinham mais pensamentos sobre os animais do que as pessoas a quem foi pedido apenas que pensassem em ursos brancos. Isso levou à crença comum de que bloquear pensamentos indesejados, ironicamente, faz com que eles ocorram com mais frequência.

Como resultado, algumas formas de terapia visam melhorar a saúde1 mental orientando as pessoas a relembrar e explorar experiências difíceis, em vez de suprimi-las.

Agora, Zulkayda Mamat e Michael Anderson, da Universidade de Cambridge, descobriram que algumas formas de supressão de pensamentos podem realmente ser úteis.

“Quando você evita um pensamento fazendo ou pensando em outra coisa, sim, você tende a atrair esse pensamento novamente”, diz Mamat. “Mas descobrimos que suprimir pensamentos, certificando-se de que sua mente está sem nenhum pensamento – por exemplo, imaginando um espaço em branco ou imaginando expulsar esse pensamento de sua mente – pode ser benéfico.”

Leia sobre "Pensamentos intrusivos", "Psicoterapia" e "Saúde1 mental".

Os pesquisadores recrutaram 120 pessoas e pediram-lhes que imaginassem cenários futuros que poderiam ocorrer em suas vidas nos próximos dois anos. Não foi perguntado aos participantes se haviam sido diagnosticados com algum problema de saúde1 mental, mas as pesquisas realizadas revelaram alguns sintomas2.

Cada participante apresentou 20 cenários negativos os quais temia, como perder um ente querido, e 36 cenários neutros, como pendurar a roupa lavada. Para cada cenário, os participantes tiveram que fornecer uma palavra-chave que pudesse ser usada para evocar o pensamento.

Através da plataforma de videoconferência Zoom, Mamat e Anderson treinaram 61 dos participantes para suprimir pensamentos negativos e 59 deles para suprimir pensamentos neutros, durante 20 minutos por dia durante três dias. Durante cada sessão de treinamento, os pesquisadores mostraram aos participantes a palavra-chave para desencadear um pensamento sobre um cenário e, em seguida, pediram-lhes que bloqueassem o evento em suas mentes, antes de apresentar uma nova dica.

Imediatamente após a última sessão de treino, 90% das pessoas que reprimiram os medos relataram que isso tornou os acontecimentos imaginados menos vívidos nas suas mentes. Cerca de 75% daqueles que suprimiram pensamentos neutros relataram o mesmo.

Os participantes também relataram até que ponto apresentavam sintomas2 relacionados à depressão, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e ansiedade em pesquisas antes e depois do treinamento.

Os pesquisadores usaram esses relatórios para calcular que entre os participantes que obtiveram pontuações altas em sintomas2 de TEPT antes do treinamento, aqueles que suprimiram pensamentos negativos tiveram uma redução de 16% na gravidade dos sintomas2 após o treinamento, enquanto aqueles que suprimiram pensamentos neutros tiveram uma redução de 5%.

Da mesma forma, em pessoas que relataram sintomas2 de depressão antes do treinamento, a supressão de pensamentos negativos reduziu mais as suas pontuações do que a supressão de pensamentos neutros.

As pesquisas também revelaram que as pessoas acreditavam que suprimir pensamentos negativos, mas não neutros, também aumentava o seu bem-estar. Os efeitos benéficos nas medidas de saúde1 mental ainda permaneciam três meses após a formação.

Mesmo que os resultados sejam confirmados em estudos maiores, suprimir alguns pensamentos pode ser prejudicial, diz Mamat.

“Existem alguns pensamentos sobre os quais você deve tentar pensar, processar e lidar, mas há outros pensamentos sobre o futuro sobre os quais você não pode fazer nada e suprimi-los pode ajudar”, diz Mamat.

“A ideia de que as tentativas de suprimir pensamentos negativos têm efeitos paradoxais e prejudiciais é bastante comum entre pesquisadores, médicos e o público em geral”, diz Isaac Fradkin, da University College London. “O estudo desafia de forma convincente esse preconceito.”

No artigo publicado os pesquisadores relatam sobre a melhora da saúde1 mental treinando a supressão de pensamentos indesejados.

Eles contextualizam que a ansiedade, o estresse pós-traumático e a depressão aumentaram acentuadamente em todo o mundo durante a pandemia3 de COVID-19. As pessoas com estas condições experimentam pensamentos intrusivos angustiantes, mas as terapias convencionais muitas vezes as estimulam a evitar a supressão dos seus pensamentos porque as intrusões podem repercutir em intensidade e frequência, agravando os distúrbios.

Em contraste, levantou-se a hipótese de que treinar a supressão do pensamento melhoraria a saúde1 mental.

Cento e vinte adultos de 16 países passaram por 3 dias de treinamento online para suprimir pensamentos que despertam medo ou pensamentos neutros. Não ocorreram aumentos paradoxais nos medos. Em vez disso, a supressão reduziu a memória para medos reprimidos e os tornou menos vívidos e menos provocadores de ansiedade.

Após o treinamento, os participantes relataram menos ansiedade, afeto negativo e depressão, com o último benefício persistindo em 3 meses. Os participantes com altos índices de traços de ansiedade e estresse pós-traumático relacionado à pandemia3 obtiveram os maiores e mais duradouros benefícios de saúde1 mental.

Estas descobertas desafiam a sabedoria secular de que a supressão de pensamentos é inadequada, oferecendo uma abordagem acessível para melhorar a saúde1 mental.

Veja também sobre "Principais transtornos mentais", "Maneiras de lidar com o estresse" e "Trauma psicológico".

 

Fontes:
Science Advances, Vol. 9, Nº 38, em 20 de setembro de 2023.
New Scientist, notícia publicada em 20 de setembro de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Suprimir pensamentos preocupantes pode melhorar a saúde mental. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1461119/suprimir-pensamentos-preocupantes-pode-melhorar-a-saude-mental.htm>. Acesso em: 22 abr. 2024.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Pandemia: É uma epidemia de doença infecciosa que se espalha por um ou mais continentes ou por todo o mundo, causando inúmeras mortes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a pandemia pode se iniciar com o aparecimento de uma nova doença na população, quando o agente infecta os humanos, causando doença séria ou quando o agente dissemina facilmente e sustentavelmente entre humanos. Epidemia global.
Gostou do artigo? Compartilhe!