Gostou do artigo? Compartilhe!

Cacau pode reduzir a resistência à insulina e o dano oxidativo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um novo estudo, publicado na revista científica Nutrition Research and Practice, procurou relacionar o consumo de cacau em pó 100% diluído em água, 25 a 39gr por dia (a depender do peso corporal) em jovens adultos com peso normal e sobrepeso1 por 7 dias.

Os pesquisadores observaram redução do LDL2 e diminuição da atividade da arginase (enzima3 envolvida na inflamação4 causada pela obesidade5) e do índice HOMA (medida que avalia a resistência à insulina6).

Acredita-se que isso acontece porque o cacau é rico em catequinas, epicatequinas, proantocianidinas, ácidos fenólicos e flavonoides, que são excelentes antioxidantes.

Leia sobre "O que é inflamação4" e "Resistência à insulina6".

No artigo, os pesquisadores descrevem como o cacau é um alimento funcional que diminui a resistência à insulina6 e o dano oxidativo em adultos jovens com obesidade5 grau II.

Eles contextualizam que o consumo de cacau está associado a benefícios à saúde7 devido ao seu alto teor de polifenóis. No entanto, os efeitos do consumo de cacau a curto prazo permanecem obscuros. O objetivo, portanto, foi determinar os efeitos gerados pelo consumo de cacau (por 7 dias) em adultos jovens com peso normal e com obesidade5 grau II.

Um estudo de antes e depois foi realizado em adultos jovens com peso normal (PN) (n = 15) e obesidade5 classe II (OCII) (n = 15). Os participantes com PN e OCII consumiram 25 e 39 g de cacau, respectivamente, por dia, durante 7 dias.

O efeito do consumo de cacau foi avaliado no perfil lipídico8, resistência à insulina6 (RI) e inflamação4. O dano oxidativo também foi examinado avaliando os biomarcadores de dano oxidativo no plasma9. Além disso, a insulina10 humana recombinante foi incubada com sangue11 obtido dos participantes e o dano molecular ao hormônio12 foi analisado.

O consumo de cacau resultou em diminuição do colesterol13 de lipoproteína de baixa densidade em ambos os grupos (P = 0,04), enquanto o colesterol13 total, colesterol13 de lipoproteína de alta densidade e triglicerídeos foram mantidos nos níveis recomendados.

Inicialmente, foi detectada RI no grupo com OCII (modelo de avaliação da homeostase [HOMA] = 4,78 ± 0,4), que está associada a danos moleculares à insulina10. Curiosamente, a intervenção com cacau resultou em melhoria da RI (HOMA = 3,14 ± 0,31) (P = 0,0018), bem como melhoria do dano molecular à insulina10.

Finalmente, o consumo de cacau diminuiu significativamente a atividade da arginase (P = 0,0249) no grupo com OCII; esta é uma atividade enzimática crítica no processo inflamatório associado à obesidade5.

O estudo concluiu que o consumo de cacau a curto prazo melhora o perfil lipídico8, exerce efeitos anti-inflamatórios e protege contra danos oxidativos. Os resultados deste estudo indicam que o consumo de cacau pode potencialmente melhorar a resistência à insulina6 e restaurar um status redox saudável.

Veja também sobre "Obesidade5", "Tratando a obesidade5" e "O papel da insulina10 no corpo".

 

Fonte: Nutrition Research and Practice, publicação em abril de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Cacau pode reduzir a resistência à insulina e o dano oxidativo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1436735/cacau-pode-reduzir-a-resistencia-a-insulina-e-o-dano-oxidativo.htm>. Acesso em: 27 mai. 2024.

Complementos

1 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
2 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
3 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
4 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
5 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
6 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
8 Perfil lipídico: Exame laboratorial que mede colesterol total, triglicérides, HDL. O LDL é calculado por estes resultados. O perfil lipídico é uma das medidas de risco para as doenças cardiovasculares.
9 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
10 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
11 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
12 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
13 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
Gostou do artigo? Compartilhe!