Gostou do artigo? Compartilhe!

Condições de saúde anteriores foram associadas à demência subsequente

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Algumas condições de saúde1 associadas à demência2 apareceram precocemente e consistentemente muito antes do diagnóstico3, enquanto outras se tornaram significativas muito mais tarde, sugeriu um estudo de coorte4 publicado na revista Annals of Neurology.

Para pessoas com diagnóstico3 subsequente de doença de Alzheimer5, as associações mais precoces e consistentes em todos os momentos ao longo de um período de 15 anos incluíram depressão, disfunção erétil, anormalidades na marcha, perda auditiva e sintomas6 nervosos e musculoesqueléticos, relataram Lori Beason-Held, PhD, do National Institute on Aging em Baltimore, e co-autores.

Para aqueles eventualmente diagnosticados com demência2 vascular7, as associações mais precoces e consistentes ao longo de 13 anos foram um eletrocardiograma8 (ECG) anormal, disritmias cardíacas, doença cerebrovascular9, câncer10 de pele11 não epitelial, depressão e perda auditiva.

Saiba mais sobre "Demência2" e "Doenças degenerativas12".

“Embora hipertensão13, doença cerebrovascular9 e depressão sejam mais comumente associadas à demência2 na literatura, há alguma variabilidade nas condições de saúde1 ligadas à demência”, escreveram Beason-Held e colegas. “O momento do início dessas condições de saúde1 também pode ser especialmente importante, mas menos se sabe sobre os anos imediatamente anteriores ao diagnóstico3 de demência”.

“É fundamental que entendamos a conexão entre a saúde1 física e cognitiva14 à medida que nossa população idosa continua a crescer”, acrescentaram os pesquisadores. “Nossos resultados reforçam a necessidade de intervenção médica e tratamento para diminuir o impacto das condições de saúde1 que ocorrem com a idade, o que poderia reduzir o risco de demência2 futura em nossos pacientes idosos”.

Os pesquisadores examinaram prontuários médicos para determinar as condições de saúde1 associadas à demência2 em intervalos variados antes do diagnóstico3 de demência2 em participantes do Estudo Longitudinal de Envelhecimento de Baltimore (BLSA).

Os dados estavam disponíveis para 347 pacientes com doença de Alzheimer15 (DA), 76 com demência2 vascular7 (DV) e 811 participantes de controle sem demência2. Regressões logísticas foram realizadas associando códigos de saúde1 da Classificação Internacional de Doenças, 9ª Revisão (CID-9) com status de demência2 em todos os momentos, aos 5 e 1 ano(s) antes do diagnóstico3 de demência2 e no ano do diagnóstico3, controlando para idade, sexo e duração do acompanhamento do prontuário.

Na DA, as associações mais precoces e consistentes em todos os momentos incluíram depressão, disfunção erétil, anormalidades na marcha, perda auditiva e sintomas6 nervosos e musculoesqueléticos. Cardiomegalia16, incontinência urinária17, câncer10 de pele11 não epitelial e pneumonia18 não foram significativos até 1 ano antes do diagnóstico3 de demência2.

Na DV, as associações mais precoces e consistentes em todos os momentos incluíram eletrocardiograma8 (ECG) anormal, disritmias cardíacas, doença cerebrovascular9, câncer10 de pele11 não epitelial, depressão e perda auditiva. Fibrilação atrial, oclusão de artérias19 cerebrais, tremor essencial e reflexos anormais não foram significativos até 1 ano antes do diagnóstico3 de demência2.

Esses achados sugerem que algumas condições de saúde1 estão associadas à demência2 futura, começando pelo menos 5 anos antes do diagnóstico3 de demência2, e são consistentemente observadas ao longo do tempo, enquanto outras só atingem significância mais perto da data do diagnóstico3.

Esses resultados também mostram que existem condições de saúde1 compartilhadas e distintas associadas à doença de Alzheimer15 e à demência2 vascular7.

O estudo reforça a necessidade de intervenção e tratamento médico para diminuir o impacto das comorbidades20 de saúde1 na população idosa.

Leia sobre "Distúrbio neurocognitivo" e "Surdez em idosos e o risco de demência2".

 

Fontes:
Annals of Neurology, publicação em 26 de dezembro de 2022.
MedPage Today, notícia publicada em 05 de janeiro de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Condições de saúde anteriores foram associadas à demência subsequente. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1431955/condicoes-de-saude-anteriores-foram-associadas-a-demencia-subsequente.htm>. Acesso em: 7 fev. 2023.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
3 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
4 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
5 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
8 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
9 Doença cerebrovascular: É um dano aos vasos sangüíneos do cérebro que resulta em derrame (acidente vascular cerebral). Os vasos tornam-se obstruídos por depósitos de gordura (aterosclerose) ou tornam-se espessados ou duros bloqueando o fluxo sangüíneo para o cérebro. Quando o fluxo é interrompido, as células nervosas sofrem dano ou morrem, resultando no derrame. Pacientes com diabetes descompensado têm maiores riscos de AVC.
10 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Degenerativas: Relativas a ou que provocam degeneração.
13 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
14 Cognitiva: 1. Relativa ao conhecimento, à cognição. 2. Relativa ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
15 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
16 Cardiomegalia: É o termo utilizado para o aumento do tamanho do coração. Pode ser produzida por hipertensão arterial, doença coronariana, insuficiência cardíaca, doença de Chagas, etc.
17 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
18 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
19 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
20 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
Gostou do artigo? Compartilhe!