Gostou do artigo? Compartilhe!

O fungo Candida albicans implanta uma enzima que digere gordura para minar as defesas imunológicas do hospedeiro

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O fungo1 Candida albicans geralmente vive tranquilamente no intestino e em outros tecidos das pessoas. Mas às vezes ele se torna nocivo, invadindo órgãos internos e a corrente sanguínea. Essas infecções2 são fatais em 40% dos casos, e C. albicans é uma causa comum de infecções2 da corrente sanguínea em hospitais dos EUA.

Agora, um novo estudo, publicado na revista Cell Host & Microbe, descobriu que o fungo1 Candida albicans produz uma enzima3 que decompõe as gorduras, ajudando o patógeno a infectar os órgãos internos.

No estudo, os pesquisadores relatam como a infecção4 tecidual profunda por um patógeno fúngico5 humano invasivo requer supressão baseada em lipídios da resposta da interleucina 17 (IL-17).

Saiba mais sobre "Fungos: como são", "Candidíase6" e "Sistema imunológico7".

Destaques

  • A lipase Lip2 secretada é necessária para a virulência8 do C. albicans na corrente sanguínea.
  • A Lip2 suprime uma resposta antifúngica da IL-17 em órgãos internos infectados.
  • A Lip2 afeta indiretamente a IL-17 suprimindo a produção de IL-23 pelas células dendríticas9.
  • O ácido palmítico de produto da lipase imita a atividade da Lip2 em células dendríticas9 cultivadas.

Resumo

Candida albicans é a causa mais comum de infecção4 fúngica10 em humanos. A IL-17 é crítica para a defesa contra infecções2 fúngicas11 superficiais, mas o papel dessa resposta na doença invasiva é menos compreendido.

Mostrou-se que o C. albicans secreta uma lipase, Lip2, que facilita a doença invasiva por meio da supressão baseada em lipídeos da resposta da IL-17.

A Lip2 foi identificada como um fator de virulência8 essencial em uma triagem genética avançada em um modelo de camundongo de infecção4 da corrente sanguínea. A infecção4 murina com cepas12 de C. albicans sem Lip2 exibe respostas exageradas de IL-17 que levam à eliminação do fungo1 dos órgãos sólidos e à sobrevivência13 do hospedeiro.

Tanto a sinalização da IL-17 quanto a atividade da lipase são necessárias para a supressão mediada por Lip2. A Lip2 inibe a produção da IL-17 indiretamente suprimindo a produção de IL-23 por células dendríticas9 residentes no tecido14.

O produto da hidrólise da lipase, o ácido palmítico, também suprime a ativação das células dendríticas9 in vitro.

Assim, o C. albicans suprime a defesa antifúngica pela IL-17 em órgãos sólidos, alterando o meio lipídico do tecido14.

Leia sobre "Agentes infecciosos" e "Candidíase6 oral do bebê".

 

Fontes:
Cell Host & Microbe, Vol. 30, Nº 11, em novembro de 2022.
Nature, notícia publicada em 04 de novembro de 2022.

 

Créditos da imagem: Steve Gschmeissner/Science Photo Library

 

NEWS.MED.BR, 2022. O fungo Candida albicans implanta uma enzima que digere gordura para minar as defesas imunológicas do hospedeiro. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1430110/o-fungo-candida-albicans-implanta-uma-enzima-que-digere-gordura-para-minar-as-defesas-imunologicas-do-hospedeiro.htm>. Acesso em: 5 fev. 2023.

Complementos

1 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
2 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Enzima: Proteína produzida pelo organismo que gera uma reação química. Por exemplo, as enzimas produzidas pelo intestino que ajudam no processo digestivo.
4 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Fúngico: Relativo à ou produzido por fungo.
6 Candidíase: É o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
7 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
8 Virulência: 1. Qualidade ou estado do que é ou está virulento. 2. Capacidade de um vírus ou bactéria de se multiplicar dentro de um organismo, provocando doença. 3. No sentido figurado, caráter daquilo ou daquele que está carregado de violência ou de ímpeto violento.
9 Células Dendríticas: Células especializadas do sistema hematopoético que possuem extensões semelhantes a ramos. São encontradas em todo o sistema linfático, e tecidos não linfóides, como PELE e o epitélio nos tratos intestinal, respiratório e reprodutivo. Elas prendem e processam ANTÍGENOS e os apresentam às CÉLULAS T, estimulando assim a IMUNIDADE MEDIADA POR CÉLULAS. São diferentes das CÉLULAS DENDRÍTICAS FOLICULARES não hematopoéticas, que têm morfologia e função do sistema imune semelhantes, exceto em relação à imunidade humoral (PRODUÇÃO DE ANTICORPOS).
10 Fúngica: Relativa à ou produzida por fungo.
11 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
12 Cepas: Cepa ou estirpe é um termo da biologia e da genética que se refere a um grupo de descendentes com um ancestral comum que compartilham semelhanças morfológicas e/ou fisiológicas.
13 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
14 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
Gostou do artigo? Compartilhe!