Gostou do artigo? Compartilhe!

Presepsina parece ser um biomarcador preciso para o diagnóstico de sepse neonatal precoce

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A sepse1 neonatal de início precoce (SNP) é uma doença grave, principalmente em prematuros. O diagnóstico2 oportuno pode ser desafiador devido à apresentação inespecífica e desempenho questionável dos marcadores comuns de infecção3. A presepsina foi recentemente comprovada como um biomarcador promissor para o diagnóstico2 de SNP.

O objetivo deste estudo, publicado no JAMA Pediatrics, foi avaliar a precisão da presepsina para o diagnóstico2 de SNP.

Saiba mais sobre "Sepse1 em crianças" e "Septicemia4: o que é".

Foram pesquisadas as bases de dados PubMed Medline, EMBASE, Web of Science e Google Scholar. Nenhuma restrição de data de publicação foi aplicada. A busca na literatura foi limitada ao idioma inglês. Os artigos foram verificados quanto à duplicação.

Os critérios de inclusão foram estudos que (1) incluíam recém-nascidos a termo ou pré-termo (definidos como recém-nascidos com idade gestacional ≥37 semanas ou <37 semanas, respectivamente); (2) incluíam um diagnóstico2 de SNP, definida como sepse1 comprovada por cultura para análise primária e como sepse1 clínica ou comprovada por cultura para análise secundária; e (3) avaliavam os valores de presepsina durante a investigação inicial para suspeita de SNP.

Os critérios de exclusão foram estudos que (1) não incluíam casos de SNP; (2) faltavam dados sobre a sensibilidade e/ou especificidade da presepsina; e (3) foram relatos de casos, comentários ou revisões. Dois revisores independentes realizaram a seleção dos estudos.

Dois revisores independentes realizaram extração de dados e avaliação de qualidade. A avaliação da qualidade foi realizada usando a ferramenta Quality Assessment for Studies of Diagnostic Accuracy 2, e os dados foram relatados de acordo com as diretrizes Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses. Os dados foram agrupados usando um modelo de efeitos aleatórios.

Os desfechos de interesse para as análises primária e secundária foram sensibilidade à presepsina, especificidade e razão de chances de diagnóstico2 para o diagnóstico2 de SNP.

Um total de 12 estudos de 245 (4,9%) preencheram os critérios de inclusão para a análise primária. Vinte e três estudos de 245 (9,4%) preencheram os critérios de inclusão para a análise secundária.

Na análise primária, entre 12 estudos e 828 recém-nascidos de qualquer idade gestacional, a sensibilidade e a especificidade agrupadas foram 0,93 (IC 95%, 0,86-0,95) e 0,91 (IC 95%, 0,85-0,95), respectivamente; a razão de chances de diagnóstico2 combinada foi de 131,69 (IC 95%, 54,93-310,94).

A análise de subgrupo mostrou que a especificidade da presepsina estava associada à inclusão de apenas SNP ou de todas as sepses neonatais.

A precisão da presepsina não foi associada à idade gestacional, medição com imunoensaio enzimático de quimioluminescência ou teste de imunoabsorção enzimática, país onde o estudo foi realizado ou risco de julgamento de viés.

Na análise secundária, entre 23 estudos e 1.866 recém-nascidos, a precisão foi significativamente associada apenas ao tipo de teste.

Os resultados desta revisão sistemática e metanálise sugerem que a presepsina foi um biomarcador preciso de sepse1 neonatal de início precoce.

Ensaios clínicos5 são necessários para avaliar sua utilidade e segurança para reduzir a exposição precoce a antibióticos, particularmente em recém-nascidos prematuros.

Leia sobre "Meios de cultura e antibiograma" e "Usos e abusos dos antibióticos".

 

Fonte: JAMA Pediatrics, publicação em 31 de maio de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Presepsina parece ser um biomarcador preciso para o diagnóstico de sepse neonatal precoce. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1421935/presepsina-parece-ser-um-biomarcador-preciso-para-o-diagnostico-de-sepse-neonatal-precoce.htm>. Acesso em: 2 out. 2022.

Complementos

1 Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia, taquicardia, taquipnéia e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
2 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
5 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
Gostou do artigo? Compartilhe!