Gostou do artigo? Compartilhe!

O câncer de mama é mais propenso a se espalhar durante o sono

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Novo estudo, publicado na revista Nature, descobriu que as células1 tumorais do câncer2 de mama3 parecem circular mais no sangue4 durante a noite, se espalhando para outras partes do corpo com maior eficiência e sugerindo que as terapias devem ser direcionadas para maximizar seu impacto à noite.

Até então, os cientistas acreditavam que as metástases5 do câncer2 de mama3 se espalhavam continuamente ao longo do dia, assumido que as células1 tumorais circulantes (CTCs) estão constantemente se desprendendo de tumores em crescimento, ou como resultado de insultos mecânicos. Agora, porém, foi identificado que há um “padrão surpreendente e inesperado de dinâmica de geração de CTCs em pacientes com câncer2 de mama3 e modelos de camundongos, destacando que a maioria dos eventos espontâneos de intravasamento de CTCs ocorrem durante o sono”, escreveram Nicola Aceto, PhD, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia em Zurique, e colegas.

Além disso, as CTCs são mais propensas à metástase6 durante a fase de repouso do corpo, enquanto as geradas durante a fase ativa do corpo não são, observaram os pesquisadores.

Isso não significa que as pessoas com câncer2 devem tentar evitar dormir para impedir que ele se espalhe, alertam os pesquisadores – trabalhos anteriores sugeriram que o sono interrompido pode piorar o prognóstico7 do câncer2 de mama3. Mas a descoberta indica que considerar a melhor hora do dia para administrar terapias contra o câncer2 pode torná-las mais eficazes.

“A maioria dos tratamentos contra o câncer2 não são projetados com a intenção de atingir as células1 tumorais em um momento específico, mas sim com o pensamento geral de que o tumor8 está lá e você tenta atacá-lo a qualquer momento”, diz Aceto. “Agora entendemos o que acontece em momentos diferentes melhor do que antes, e que o tratamento precisa ser feito melhor.”

Saiba mais sobre "Câncer2 de mama3", "Entendendo o que são metástases5" e "Recomendações para tratamento do câncer2 de mama3".

Aceto e seus colegas estavam realizando outro estudo sobre câncer2 de mama3 metastático – o que significa que ele se espalhou para outros órgãos – quando detectaram uma tendência inesperada. As células1 tumorais circulantes (CTCs) dos participantes, células1 que se espalham a partir de tumores invasivos, proliferavam principalmente à noite.

Eles decidiram investigar mais 30 mulheres com câncer2 de mama3, incluindo nove com doença metastática9, que não estavam em tratamento. Os cientistas coletaram amostras de sangue4 às 10h e às 4h nas horas anteriores às cirurgias de câncer2.

A análise revelou que 78% de todas as CTCs foram encontradas nas amostras noturnas, quando as mulheres estavam dormindo.

Os pesquisadores então realizaram exames de sangue4 semelhantes em camundongos que haviam sido transplantados com quatro tipos diferentes de câncer2 de mama3. Eles descobriram que, dependendo do tipo de câncer2, entre 87 e 99 por cento das CTCs vieram de amostras colhidas durante os períodos de sono dos animais.

Além disso, as CTCs se agruparam – o que significa que elas eram mais propensas a formar um novo tumor8 – até 278 vezes mais em amostras de camundongos adormecidos em comparação com as de camundongos acordados.

Embora inicialmente surpreendentes, as descobertas realmente fazem sentido, diz Aceto. O sistema imunológico10 é fortemente modulado pelo ciclo sono-vigília do corpo, conhecido como ritmo circadiano11. Geralmente pensava-se, no entanto, que tumores de câncer2 não obedeciam a esse ritmo, diz ele.

As novas descobertas corrigem esse equívoco, mas ainda deixam muitas perguntas sem resposta. “Há uma certa ritmicidade, com pico mais alto durante o sono”, diz Aceto. “Qual momento exato durante o sono – e se dormir mais ou menos ajudaria nisso – absolutamente não sabemos.”

No artigo publicado, os pesquisadores descrevem como a disseminação metastática do câncer2 de mama3 acelera durante o sono.

A disseminação metastática do câncer2 é alcançada pela disseminação hematogênica12 de células1 tumorais circulantes (CTCs). Geralmente, no entanto, a dinâmica temporal que dita a geração de CTCs competentes para metástases5 é amplamente descaracterizada, e muitas vezes assume-se que as CTCs são constantemente eliminadas de tumores em crescimento ou são eliminadas como consequência de insultos mecânicos.

Neste estudo, observou-se um padrão surpreendente e inesperado da dinâmica de geração de CTC em pacientes com câncer2 de mama3 e modelos de camundongos, destacando que a maioria dos eventos espontâneos de intravasamento de CTC ocorrem durante o sono.

Além disso, demonstrou-se que as CTCs em fase de repouso são altamente propensas à metástase6, enquanto as CTCs geradas durante a fase ativa são desprovidas de capacidade metastática.

Mecanisticamente, a análise de sequenciamento de RNA de célula13 única de CTCs revela uma regulação positiva marcada de genes mitóticos exclusivamente durante a fase de repouso em pacientes e modelos de camundongos, permitindo a proficiência em metástases5.

Sistemicamente, descobriu-se que os principais hormônios do ritmo circadiano11, como melatonina, testosterona e glicocorticoides, ditam a dinâmica de geração de CTC e, como consequência, a insulina14 promove diretamente a proliferação de células1 tumorais in vivo, mas de maneira dependente do tempo.

Assim, a geração espontânea de células1 tumorais circulantes com alta propensão à metástase6 não ocorre continuamente, mas está concentrada na fase de repouso do indivíduo afetado, fornecendo uma nova base lógica para interrogação e tratamento controlados por tempo do câncer2 propenso a metástases5.

Leia sobre "Câncer2 - informações importantes" e "Oncogênese - Como se dá o processo de formação do câncer2".

 

Fontes:
Nature, publicação em 22 de junho de 2022.
New Scientist, notícia publicada em 22 de junho de 2022.
MedPage Today, notícia publicada em 28 de junho de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. O câncer de mama é mais propenso a se espalhar durante o sono. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1420190/o-cancer-de-mama-e-mais-propenso-a-se-espalhar-durante-o-sono.htm>. Acesso em: 2 out. 2022.

Complementos

1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
6 Metástase: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
7 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
8 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
9 Doença metastática: Câncer que se espalhou do seu local de origem a outras partes do organismo.
10 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
11 Ritmo circadiano: Também conhecido como ciclo circadiano, o ritmo circadiano representa o período de um dia (24 horas) no qual se completam as atividades do ciclo biológico dos seres vivos. Uma das funções deste sistema é o ajuste do relógio biológico, controlando o sono e o apetite. Através de um marca-passo interno que se encontra no cérebro, o ritmo circadiano regula tanto os ritmos materiais quanto os psicológicos, o que pode influenciar em atividade como: digestão em vigília, renovação de células e controle de temperatura corporal.
12 Hematogênica: Que se origina no sangue e se espalha pela corrente sanguínea.
13 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
14 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
Gostou do artigo? Compartilhe!