Gostou do artigo? Compartilhe!

Pessoas com mais de 80 anos com IMC "acima do peso" podem ter taxas de mortalidade mais baixas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um índice de massa corporal1 acima de 25 é normalmente considerado como não saudável, mas um estudo com mais de 27.000 pessoas na China sugere que esse pode não ser o caso para grupos etários mais velhos.

Segundo análise em larga escala publicada na revista Nature Aging, pessoas com mais de 80 anos cujo índice de massa corporal1 é maior do que o recomendado atualmente têm uma taxa de mortalidade2 mais baixa. Os achados sugerem que as diretrizes de peso devem ser alteradas para essa faixa etária.

As pontuações do IMC3 são usadas para estimar se alguém tem ou não um peso saudável. É baseado na altura e no peso de uma pessoa, e a maioria das diretrizes sugere que alguém com pontuação acima de 25 está acima do peso, enquanto aqueles com pontuação acima de 30 são considerados obesos.

Essas diretrizes são amplamente baseadas em medições feitas em faixas etárias mais jovens, diz Xiaoming Shi, do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças em Pequim. À medida que a população mundial envelhece, é importante garantir que essas recomendações também façam sentido para grupos etários mais velhos, diz ele.

Shi e seus colegas estudaram o risco de mortalidade2 em mais de 27.000 pessoas com mais de 80 anos em toda a China a partir de 1998. Os participantes tinham uma idade média de 93 anos quando se inscreveram no estudo e foram acompanhados até 2018 ou até suas mortes.

Análises anteriores encontraram uma ligação entre pontuações mais altas de IMC3 em faixas etárias mais velhas e uma taxa de mortalidade2 mais baixa, mas este é o primeiro estudo a analisar essa questão com um tamanho de amostra tão grande.

Leia sobre "Cálculo4 do IMC3", "Peso ideal e como calculá-lo" e "O processo de envelhecimento".

Nesta análise, os pesquisadores descobriram que o IMC3 ideal para pessoas com mais de 80 anos era de cerca de 29. Isso foi em grande parte impulsionado por um menor risco de morte por causas não cardiovasculares, como câncer5 ou doenças respiratórias. Esse grupo também apresentou menor risco de morte por doenças cardiovasculares6, mas a relação foi mais fraca.

Mesmo aqueles com IMC3 na faixa de obesidade7, entre 30 e 35, tiveram uma taxa de mortalidade2 menor do que aqueles na faixa de 20 a 25.

A pesquisa levou em consideração vários fatores, incluindo status socioeconômico, escolaridade e se uma pessoa fumava.

Shi diz que não está claro por que um IMC3 mais alto está relacionado a uma menor taxa de mortalidade2, mas especula que pode ser devido a essas pessoas terem uma dieta mais nutritiva. Ele também observa que, em geral, os escores de IMC3 dessa população foram inferiores aos encontrados no Ocidente. Mais de 40 por cento dos maiores de 60 anos nos EUA são obesos. “Nossas descobertas podem não ser generalizáveis para outras faixas etárias e grupos étnicos”, diz ele.

“Este estudo destaca a importância de levar em consideração a idade ao considerar a relação entre IMC3 e mortalidade2 ou outros riscos à saúde”, diz Louise Baur, da Universidade de Sydney. Ela diz que este estudo não pode nos dizer exatamente por que o excesso de peso pode estar relacionado a melhores resultados de saúde8 em pessoas com mais de 80 anos, mas concorda que isso pode ser devido a uma melhor nutrição9.

“Embora o IMC3 seja uma maneira acessível e econômica de avaliar a saúde8 de uma pessoa, ele não deve ser considerado uma medida única de saúde”, diz Nicholas Fuller, também da Universidade de Sydney. “O IMC3 é baseado no peso corporal, mas o risco de doença de uma pessoa está ligado à gordura10 corporal, não ao peso. É mais importante focar em medidas que nos digam mais sobre a gordura10 no corpo e onde ela está distribuída, como a circunferência da cintura, para entender melhor a saúde8 e o risco.”

No artigo publicado, os pesquisadores descrevem como o paradoxo da obesidade7 é impulsionado principalmente pela diminuição da mortalidade2 por doenças não cardiovasculares nos idosos mais velhos na China.

As recomendações nacionais e internacionais de índice de massa corporal1 (IMC3) saudável são baseadas principalmente em evidências em populações jovens e de meia-idade, com representação insuficiente dos idosos mais velhos (idade ≥80 anos).

Neste estudo, relatou-se associações entre IMC3 e risco de mortalidade2 em 27.026 idosos da comunidade (idade média, 92,7 ± 7,5 anos) na China de 1998 a 2018. Curvas não lineares mostraram associações em forma de J reverso do IMC3 com doença cardiovascular (DCV), mortalidade2 não cardiovascular e por todas as causas, com um risco reduzido monotônico até IMCs na faixa de sobrepeso11 e obesidade7 leve e taxas de risco planas a partir de então.

Comparado ao peso normal, o sobrepeso11 e a obesidade7 foram significativamente associados à diminuição da mortalidade2 não cardiovascular e por todas as causas, mas não à mortalidade2 por DCV. Associações semelhantes foram encontradas para a circunferência da cintura.

Esses resultados dão suporte à noção de que o IMC3 ideal em idosos pode estar em torno da faixa de sobrepeso11 ou obesidade7 leve e desafiam a aplicação de diretrizes internacionais e nacionais sobre o IMC3 ideal nessa faixa etária.

Veja também sobre "O envelhecimento saudável", "O que é uma alimentação saudável" e "Composição corporal - como avaliar e como melhorar".

 

Fontes:
Nature Aging, publicação em 25 de abril de 2022.
New Scientist, notícia publicada em 25 de abril de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Pessoas com mais de 80 anos com IMC "acima do peso" podem ter taxas de mortalidade mais baixas. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1415440/pessoas-com-mais-de-80-anos-com-imc-quot-acima-do-peso-quot-podem-ter-taxas-de-mortalidade-mais-baixas.htm>. Acesso em: 25 mai. 2022.

Complementos

1 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
4 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
5 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
6 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
7 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
8 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
9 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
10 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
11 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
Gostou do artigo? Compartilhe!