Gostou do artigo? Compartilhe!

Obesidade e idade na menopausa desempenham papel integral no risco de insuficiência cardíaca entre as mulheres

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os dados de um novo estudo, publicado no Journal of the American Heart Association, estão fornecendo informações sobre o risco elevado de insuficiência cardíaca1 associado ao aumento do IMC2 e da circunferência da cintura com base na idade em que a mulher entra na menopausa3.

Os resultados do estudo de 4.500 pessoas indicam que a obesidade4 estava associada ao aumento do risco de insuficiência cardíaca1 em todas as faixas etárias, mas esse risco foi mais aparente entre as mulheres com obesidade4 que entraram na menopausa3 aos 55 anos ou mais tarde.

“Há uma lacuna no conhecimento sobre a possível influência da menopausa3 tardia – ocorrendo aos 55 anos ou mais – na incidência5 de insuficiência6 cardíaca”, disse a investigadora principal Imo A. Ebong, MD, professora associada de medicina na divisão de medicina cardiovascular da Universidade da Califórnia Davis, em um comunicado. “Sabemos que a obesidade4 aumenta o risco de desenvolver insuficiência cardíaca1, e o início da menopausa3 está associado ao aumento da gordura7 corporal. Em nosso estudo, investigamos se e como a obesidade4 afeta a relação entre a idade na menopausa3 e o risco futuro de desenvolver insuficiência6 cardíaca”.

Leia sobre "Menopausa3 precoce e menopausa3 tardia", "Circunferência abdominal e doenças cardiovasculares8" e "Repercussões cardíacas da obesidade4".

No artigo, considerando como os mecanismos que ligam a idade na menopausa3 e a incidência5 de insuficiência cardíaca1 (IC) são controversos, os pesquisadores objetivaram investigar a heterogeneidade da obesidade4 na relação entre a idade na menopausa3 e a incidência5 de IC.

Usando dados de mulheres na pós-menopausa3 que participaram do Atherosclerosis Risk in Communities Study Visit 4, estimou-se as taxas de risco de IC incidente9 associada à idade na menopausa3 usando modelos de riscos proporcionais de Cox, testando a modificação do efeito pela obesidade4 e ajustando os fatores de risco da IC.

As mulheres foram categorizadas por idade na menopausa3: <45 anos, 45 a 49 anos, 50 a 54 anos e ≥55 anos. Entre 4.441 mulheres na pós-menopausa3, com idade média de 63,5 ± 5,5 anos, houve 903 eventos de IC incidente9 em um seguimento médio de 16,5 anos.

O risco atribuível da obesidade4 generalizada e central para incidência5 de IC foi maior entre as mulheres que passaram pela menopausa3 com idade ≥55 anos: 11,09/1.000 pessoas-ano e 7,38/1.000 pessoas-ano, respectivamente.

Houve interações significativas da idade na menopausa3 com índice de massa corporal10 e circunferência da cintura para incidência5 de IC (P para interação 0,02 e 0,001, respectivamente).

As razões de risco de IC incidente9 para um aumento de 1 desvio padrão (DP) no índice de massa corporal10 foram elevadas em mulheres com idade na menopausa3 <45 anos (1,39 [1,05-1,84]); de 45 a 49 anos (1,33, [1,06-1,67]); e ≥55 anos (2,02, [1,41-2,89]).

A razão de risco de IC incidente9 para um aumento de 1 DP na circunferência da cintura foi elevada apenas em mulheres com idade na menopausa3 ≥55 anos (2,93, [1,85-4,65]).

O estudo concluiu que, à medida que a obesidade4 piorou, o risco de desenvolver insuficiência cardíaca1 tornou-se significativamente maior quando comparado com mulheres com menor índice de massa corporal10 e circunferência da cintura, particularmente entre aquelas que tiveram menopausa3 com idade ≥55 anos.

Saiba mais sobre "Insuficiência cardíaca congestiva11", "Sinais12 de doenças cardíacas em mulheres" e "Menopausa3".

 

Fontes:
Journal of the American Heart Association, Vol. 11, Nº 8, em abril de 2022.
Pratical Cardiology, notícia publicada em 13 de abril de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Obesidade e idade na menopausa desempenham papel integral no risco de insuficiência cardíaca entre as mulheres. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1415160/obesidade-e-idade-na-menopausa-desempenham-papel-integral-no-risco-de-insuficiencia-cardiaca-entre-as-mulheres.htm>. Acesso em: 25 mai. 2022.

Complementos

1 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
2 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
3 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
4 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
7 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
8 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
9 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
10 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
11 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
12 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
Gostou do artigo? Compartilhe!