Gostou do artigo? Compartilhe!

Análise de células cervicais obtidas a partir do exame Papanicolau pode identificar pessoas com alto risco de câncer de ovário

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma análise de DNA de células1 cervicais retiradas de exames de esfregaço de rotina, conhecido como preventivo2 ou papanicolau3, pode identificar pessoas que podem se beneficiar de exames adicionais para câncer4 de ovário5. No futuro, esses padrões epigenéticos podem ajudar os médicos a prever quais indivíduos estão em alto risco de desenvolver a doença, para que possam ser rastreados com métodos mais sensíveis para detectar tumores precocemente.

Atualmente, 75% dos cânceres de ovário5 são detectados em um estágio tardio, quando o tumor6 se espalhou por todo o abdômen e as taxas de sobrevivência7 são baixas.

Martin Widschwendter, da Universidade de Innsbruck, na Áustria, e seus colegas desenvolveram um novo teste que pode identificar corretamente mais de 70% das pessoas com menos de 50 anos com câncer4 de ovário5 em vários estágios da doença e 55% das pessoas com mais de 50 anos. O estudo relatando as descobertas foi publicado na revista Nature Communications.

O método envolve olhar para as células1 do colo do útero8. Em muitos países, já são oferecidos às pessoas exames de esfregaço regulares, nos quais uma pequena amostra de células1 é retirada do colo do útero8, para procurar sinais9 que indiquem um alto risco de câncer4 do colo do útero8.

Para avaliar a probabilidade de câncer4 de ovário5, o novo teste procura por pequenas moléculas chamadas grupos metil que são marcadas em certas sequências de DNA, criando marcas epigenéticas.

Saiba mais sobre "Preventivo2, Exame de Papanicolau3 ou Citologia Oncótica" e "Câncer4 de ovário5: saiba mais sobre ele".

“As marcas epigenéticas registram os fatores ambientais que o indivíduo experimentou. Isso inclui eventos durante o desenvolvimento embrionário, mas também fatores de estilo de vida, como tabagismo e alterações hormonais”, diz Widschwendter. “Dessa forma, o teste fornece um método simples e de fácil acesso para avaliar muitos fatores de risco que contribuem para o risco de câncer4 de ovário”.

Os pesquisadores usaram aprendizado de máquina para analisar amostras de DNA de esfregaços cervicais de um grupo inicial de 242 pessoas com câncer4 e 869 pessoas saudáveis. Isso permitiu que eles identificassem uma assinatura única de marcas epigenéticas encontradas no DNA de pessoas com câncer4 de ovário5, mas não de pessoas saudáveis. Eles então validaram sua abordagem em um segundo conjunto de dados coletados de 47 pessoas com câncer4 e 227 amostras saudáveis.

Em seguida, Widschwendter e sua equipe pretendem mostrar que esse teste pode prever o risco das pessoas desenvolverem câncer4 de ovário5 no futuro. A ideia é que, se o teste mostrar que alguém tem um alto risco de câncer4 de ovário5, a pessoa pode ser rastreada com mais frequência usando exames de sangue10 sensíveis para a presença de câncer4, diz Widschwendter. Se esses exames de sangue10 forem positivos e o câncer4 for confirmado, a pessoa pode passar por uma cirurgia para remover o tumor6.

No entanto, todos os testes de rastreamento de câncer4 às vezes sinalizam cânceres incorretamente, o que pode resultar em pessoas submetidas a tratamentos desnecessários. O teste da equipe identificou erroneamente pessoas saudáveis como tendo câncer4 de ovário5 em 25% das vezes.

“Precisaremos desenvolver maneiras de comunicar os resultados do teste e garantir que as pessoas entendam o que isso significa”, diz Widschwendter.

No artigo publicado, os pesquisadores contextualizam que a grande maioria dos cânceres epiteliais de ovário5 surge de tecidos que são embriologicamente derivados do Ducto Mülleriano. No estudo, demonstrou-se que uma assinatura de metilação de DNA em células1 cervicais de fácil acesso derivadas do Ducto Mülleriano de mulheres com e sem câncer4 de ovário5 (ou seja, referidas como o índice de Identificação de Risco de Mulheres para Câncer4 de Ovário5 ou índice WID-OC) é capaz de identificar mulheres com câncer4 de ovário5 na ausência de DNA tumoral com uma AUC11 de 0,76 e mulheres com câncer4 de endométrio12 com uma AUC11 de 0,81.

Isso e a observação de que o índice WID-OC de célula13 cervical imita o programa epigenético daquelas células1 em risco de se tornarem cancerosas em portadores de mutação14 germinativa BRCA1/2 (ou seja, epitélio15 mamário, fímbrias da trompa de Falópio, próstata16) sugerem ainda que a má programação epigenética de células1 cervicais é um indicador de predisposição ao câncer4.

Este conceito tem o potencial de avançar o campo do rastreamento e prevenção do câncer4 estratificado por risco.

Leia sobre "Exames preventivos que toda mulher deve fazer" e "Marcadores tumorais: para que eles servem".

 

Fontes:
Nature Communications, publicação em 01 de fevereiro de 2022.
New Scientist, notícia publicada em 01 de fevereiro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Análise de células cervicais obtidas a partir do exame Papanicolau pode identificar pessoas com alto risco de câncer de ovário. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1410145/analise-de-celulas-cervicais-obtidas-a-partir-do-exame-papanicolau-pode-identificar-pessoas-com-alto-risco-de-cancer-de-ovario.htm>. Acesso em: 10 dez. 2022.

Complementos

1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Preventivo: 1. Aquilo que previne ou que é executado por medida de segurança; profilático. 2. Na medicina, é qualquer exame ou grupo de exames que têm por objetivo descobrir precocemente lesão suscetível de evolução ameaçadora da vida, como as lesões malignas. 3. Em ginecologia, é o exame ou conjunto de exames que visa surpreender a presença de lesão potencialmente maligna, ou maligna em estágio inicial, especialmente do colo do útero.
3 Papanicolau: Método de coloração para amostras de tecido, particularmente difundido por sua utilização na detecção precoce do câncer de colo uterino.
4 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
5 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
6 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
7 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
8 Colo do útero: Porção compreendendo o pescoço do ÚTERO (entre o ístmo inferior e a VAGINA), que forma o canal cervical.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
11 AUC: A área sob a curva ROC (Receiver Operator Characteristic Curve ou Curva Característica de Operação do Receptor), também chamada de AUC, representa a acurácia ou performance global do teste, pois leva em consideração todos os valores de sensibilidade e especificidade para cada valor da variável do teste. Quanto maior o poder do teste em discriminar os indivíduos doentes e não doentes, mais a curva se aproxima do canto superior esquerdo, no ponto que representa a sensibilidade e 1-especificidade do melhor valor de corte. Quanto melhor o teste, mais a área sob a curva ROC se aproxima de 1.
12 Endométrio: Membrana mucosa que reveste a cavidade uterina (responsável hormonalmente) durante o CICLO MENSTRUAL e GRAVIDEZ. O endométrio sofre transformações cíclicas que caracterizam a MENSTRUAÇÃO. Após FERTILIZAÇÃO bem sucedida, serve para sustentar o desenvolvimento do embrião.
13 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
14 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
15 Epitélio: Uma ou mais camadas de CÉLULAS EPITELIAIS, sustentadas pela lâmina basal, que recobrem as superfícies internas e externas do corpo.
16 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
Gostou do artigo? Compartilhe!