Gostou do artigo? Compartilhe!

Cigarros eletrônicos podem estar independentemente ligados à disfunção erétil

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Fumar há muito tempo é associado à disfunção erétil (DE) e doenças cardiovasculares1. No entanto, poucas pesquisas exploraram se há uma associação semelhante entre os homens que usam sistemas eletrônicos de liberação de nicotina (ENDS, do inglês electronic nicotine delivery systems), comumente chamados de e-cigarros, ou cigarros eletrônicos.

Dadas as semelhanças existentes nos constituintes dos cigarros eletrônicos e dos cigarros, um novo estudo examinou a associação entre o uso de cigarros eletrônicos e disfunção erétil.

No primeiro estudo de base populacional desse tipo, pesquisadores da NYU Grossman School of Medicine e da Johns Hopkins University School of Medicine publicaram um estudo online no American Journal of Preventive Medicine que sugere que homens entre 20 e 65 anos de idade sem história de doença cardiovascular, mas que usam ENDS diariamente são mais de duas vezes (2,4 vezes) mais prováveis de relatar disfunção erétil do que homens que nunca usaram ENDS.

De acordo com os pesquisadores, uma vez que o uso de ENDS parece estar associado à disfunção erétil independente da idade, doença cardiovascular e outros fatores de risco comuns de disfunção erétil, os usuários de ENDS devem ser informados sobre a possível ligação entre o uso de ENDS e experimentar disfunção erétil – que afeta 1 em 5 homens com mais de 20 anos nos Estados Unidos.

Saiba mais sobre "Cigarro eletrônico", "Tabagismo" e "Disfunção erétil".

“Dado que muitas pessoas usam cigarros eletrônicos como uma forma de redução de danos do fumo ou para ajudá-los a parar de fumar, precisamos investigar completamente a relação entre produtos de vaporização e disfunção erétil e, assim, compreender melhor as implicações potenciais para a saúde2 sexual masculina. Nossas descobertas ressaltam a necessidade de estudar os padrões de uso do cigarro eletrônico que são relativamente mais seguros do que fumar”, disse Omar El Shahawy, MD, PhD, professor assistente do Departamento de Saúde2 da População da NYU Langone e principal autor do estudo. “Nossas análises levaram em consideração a história de tabagismo dos participantes, incluindo aqueles que nunca foram fumantes de cigarro para começar, então é possível que a vaporização diária de cigarros eletrônicos possa estar associada a maiores chances de disfunção erétil, independentemente da história de tabagismo da pessoa.”

Os dados da Onda 4 (2016–2018) do estudo Population Assessment of Tobacco and Health foram analisados ​​em 2020. Participantes do sexo masculino com idade ≥20 anos que responderam à pergunta sobre disfunção erétil foram incluídos.

Modelos de regressão logística multivariada examinaram a associação do uso de ENDS com disfunção erétil dentro da amostra completa e em uma amostra restrita (adultos com idade entre 20-65 anos sem diagnóstico3 prévio de doença cardiovascular) enquanto ajustando para múltiplos fatores de risco.

A proporção de disfunção erétil variou de 20,7% (amostra completa) a 10,2% (amostra restrita). A prevalência4 do uso atual de ENDS nas amostras completas e restritas foi de 4,8% e 5,6%, respectivamente, com 2,1% e 2,5%, respectivamente, relatando uso diário.

Os atuais usuários diários de ENDS eram mais propensos a relatar disfunção erétil do que aqueles que nunca usuaram, tanto na amostra completa (AOR = 2,24, IC 95% = 1,50, 3,34) quanto na restrita (AOR = 2,41, IC 95% = 1,55, 3,74).

Na amostra completa, história de doença cardiovascular (versus não presente) e idade ≥65 anos (versus idade 20-24 anos) foram associadas à disfunção erétil (AOR = 1,39, IC 95% = 1,10, 1,77; AOR = 17,4, IC 95% = 12,15, 24,91), enquanto que a atividade física foi associada com menor chance de disfunção erétil em ambas as amostras (intervalo AOR = 0,44-0,58).

O uso de cigarros eletrônicos parece estar associado à disfunção erétil independente da idade, doença cardiovascular e outros fatores de risco. Enquanto os sistemas eletrônicos de liberação de nicotina permanecem sob avaliação para redução de danos e potencial de cessação do tabagismo, os usuários de e-cigarros devem ser informados sobre a possível associação entre o uso desses produtos e disfunção erétil.

Veja também sobre "Parar de fumar: como é", "Doenças do pênis5" e "O que é impotência6 sexual".

 

Fontes:
American Journal of Preventive Medicine, publicação em 30 de novembro de 2021.
NYU Langone Health, notícia publicada em 01 de dezembro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Cigarros eletrônicos podem estar independentemente ligados à disfunção erétil. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1406615/cigarros-eletronicos-podem-estar-independentemente-ligados-a-disfuncao-eretil.htm>. Acesso em: 5 fev. 2023.

Complementos

1 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
4 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
5 Pênis: Órgão reprodutor externo masculino. É composto por uma massa de tecido erétil encerrada em três compartimentos cilíndricos fibrosos. Dois destes compartimentos, os corpos cavernosos, ficam lado a lado ao longo da parte superior do órgão. O terceiro compartimento (na parte inferior), o corpo esponjoso, abriga a uretra.
6 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
Gostou do artigo? Compartilhe!