Gostou do artigo? Compartilhe!

Injeções semanais de novo agente de amilina, cagrilintida, tiveram resultados positivos para a perda de peso

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O análogo de amilina de ação prolongada experimental, cagrilintida (AM833), ajudou pessoas com sobrepeso1 ou obesidade2, mas sem diabetes3, a perder peso em um ensaio clínico de fase II.

No estudo randomizado4, todas as doses do novo tratamento injetável uma vez por semana produziram perda de peso significativamente maior do que o placebo5, relatou David C.W. Lau, MD, da University of Calgary Cumming School of Medicine, no Canadá, e colegas em artigo publicado no The Lancet.

A redução média estimada no peso corporal desde o início até a semana 26 foi a seguinte:

  • Cagrilintida 0,3 mg: 6,0%
  • Cagrilintida 0,6 mg: 6,8%
  • Cagrilintida 1,2 mg: 9,1%
  • Cagrilintida 2,4 mg: 9,7%
  • Cagrilintida 4,5 mg: 10,8%
  • Placebo5: 3,0%

A dose mais alta de cagrilintida também resultou em perda de peso significativamente maior do que 3,0 mg de liraglutida (Saxenda). Isso equivale a uma perda de peso média de 11,5 kg (25,4 lb) no braço de cagrilintida de 4,5 mg versus 9,6 kg (21,2 lb) no braço de liraglutida de 3,0 mg.

Os pesquisadores também apontaram que o declínio no peso corporal observado com a cagrilintida ainda não havia atingido um platô na semana 26.

Leia sobre "Peso ideal e como calculá-lo", "Obesidade2" e "O perigo dos remédios para emagrecer".

“Este é o primeiro estudo a investigar o efeito de doses crescentes de cagrilintida para controle de peso”, destacou o grupo de Lau. “Antes deste estudo, a cagrilintida demonstrou promover a perda de peso de uma forma dependente da dose em estudos pré-clínicos e um ensaio clínico”.

Como um análogo de amilina acilada de ação prolongada, a cagrilintida atua como um sinal6 de saciedade no cérebro7; também retarda o esvaziamento gástrico e suprime a resposta pós-prandial do glucagon8 às refeições.

“Dado seu novo mecanismo de ação e a conhecida heterogeneidade de resposta às farmacoterapias atualmente aprovadas, a cagrilintida apresenta uma oportunidade de expandir a gama de farmacoterapias existentes para controle de peso”, escreveram os pesquisadores.

A amilina natural é um hormônio9 pancreático que induz a saciedade. A cagrilintida é um análogo de amilina de ação prolongada sob investigação para controle de peso. No estudo, os pesquisadores avaliaram a relação dose-resposta de cagrilintida em relação aos efeitos sobre o peso corporal, segurança e tolerabilidade.

Foi conduzido um ensaio clínico multicêntrico, randomizado10, duplo-cego, controlado por placebo5 e controlado por ativo, de detecção de dose, em 57 locais, incluindo hospitais, clínicas especializadas e centros de atenção primária em dez países (Canadá, Dinamarca, Finlândia, Irlanda, Japão, Polônia, Sérvia, África do Sul, Reino Unido e EUA).

Os participantes elegíveis eram adultos com pelo menos 18 anos de idade sem diabetes3, com um índice de massa corporal11 de pelo menos 30 kg/m² ou pelo menos 27 kg/m² com hipertensão12 ou dislipidemia. Os participantes foram designados aleatoriamente (6:1) para auto-injeções subcutâneas de cagrilintida uma vez por semana (0,3, 0,6, 1,2, 2,4 ou 4,5 mg), liraglutida 3,0 mg uma vez ao dia ou placebo5 de volume correspondente (para seis grupos de placebo5).

O estudo teve um período de tratamento de 26 semanas, incluindo um período de aumento da dose de até 6 semanas e um período de acompanhamento de 6 semanas sem tratamento. Os participantes e investigadores foram mascarados para o tratamento do estudo atribuído em relação ao tratamento ativo versus tratamento com placebo5 combinado, mas não para diferentes tratamentos ativos.

O desfecho primário foi a mudança percentual no peso corporal desde o início até a semana 26, avaliada em todos os participantes designados aleatoriamente de acordo com a estimativa do produto do estudo (assumindo que todos os participantes aderiram ao tratamento) e a estimativa da política de tratamento (independentemente da adesão ao tratamento).

A segurança foi avaliada em todos os participantes que receberam pelo menos uma dose de tratamento randomizado10.

Entre 1º de março e 19 de agosto de 2019, foram aleatoriamente designados 706 participantes para cagrilintida 0,3-4,5 mg (100-102 por grupo de dose), 99 para liraglutida 3,0 mg e 101 para placebo5.

A descontinuação permanente do tratamento (n = 73 [10%]) ocorreu de forma semelhante entre os grupos de tratamento, principalmente devido a eventos adversos (n = 30 [4%]). No total, 29 participantes (4%) desistiram do ensaio.

De acordo com a estimativa do produto do estudo, as reduções percentuais médias de peso da linha de base foram maiores com todas as doses de cagrilintida (0,3-4,5 mg, 6,0% - 10,8% [6,4-11,5 kg]) versus placebo5 (3,0% [3,3 kg]; intervalo de diferença de tratamento estimada 3,0% - 7,8%; p <0,001).

As reduções de peso também foram maiores com cagrilintida 4,5 mg versus liraglutida 3,0 mg (10,8% [11,5 kg] vs 9,0% [9,6 kg]; diferença de tratamento estimada 1,8%, p = 0,03).

Reduções de perda de peso semelhantes foram observadas com a estimativa da política de tratamento.

Os eventos adversos mais frequentes foram distúrbios gastrointestinais (por exemplo, náuseas13, constipação14 e diarreia15) e reações no local de administração. Mais participantes que receberam cagrilintida 0,3-4,5 mg tiveram eventos adversos gastrointestinais em comparação com o placebo5 (41% - 63% vs 32%), principalmente náusea16 (20% - 47% vs 18%).

O estudo concluiu que o tratamento com cagrilintida em pessoas com sobrepeso1 e obesidade2 levou a reduções significativas no peso corporal e foi bem tolerado. Os resultados apoiam o desenvolvimento de moléculas com novos mecanismos de ação para controle de peso.

Veja também sobre "Tratando a obesidade2" e "Cálculo17 do IMC18 ou Índice de Massa Corporal11".

 

Fontes:
The Lancet, publicação em 16 de novembro de 2021.
MedPage Today, notícia publicada em 18 de novembro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Injeções semanais de novo agente de amilina, cagrilintida, tiveram resultados positivos para a perda de peso. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1406270/injecoes-semanais-de-novo-agente-de-amilina-cagrilintida-tiveram-resultados-positivos-para-a-perda-de-peso.htm>. Acesso em: 27 jun. 2022.

Complementos

1 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
2 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
3 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
4 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
5 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
6 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
7 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
8 Glucagon: Hormônio produzido pelas células-alfa do pâncreas. Ele aumenta a glicose sangüínea. Uma forma injetável de glucagon, disponível por prescrição médica, pode ser usada no tratamento da hipoglicemia severa.
9 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
10 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
11 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
12 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
13 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
14 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
15 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
16 Náusea: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
17 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
18 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
Gostou do artigo? Compartilhe!