Gostou do artigo? Compartilhe!

Anticorpo monoclonal CIS43LS preveniu a infecção por malária

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Intervenções adicionais são necessárias para reduzir a morbidade1 e mortalidade2 causadas pela malária.

Em estudo publicado no The New England Journal of Medicine, pesquisadores relatam a condução de um ensaio clínico de fase 1 em duas partes para avaliar a segurança e a farmacocinética do CIS43LS, um anticorpo3 monoclonal antimalárico com meia-vida estendida, e sua eficácia contra a infecção4 por Plasmodium falciparum.

A Parte A do estudo avaliou a segurança, o perfil inicial de efeitos colaterais5 e a farmacocinética do CIS43LS em adultos saudáveis ​​que nunca tiveram malária.

Os participantes receberam CIS43LS por via subcutânea6 ou intravenosa em um dos três níveis de dose crescentes. Um subgrupo de participantes da Parte A continuou para a Parte B, e alguns receberam uma segunda infusão de CIS43LS. Participantes adicionais foram inscritos na Parte B e receberam CIS43LS por via intravenosa.

Para avaliar a eficácia protetora do CIS43LS, alguns participantes foram submetidos à infecção4 por malária humana controlada, na qual foram expostos a mosquitos portadores de esporozoítos de P. falciparum 4 a 36 semanas após a administração de CIS43LS.

Um total de 25 participantes receberam CIS43LS em uma dose de 5 mg por quilograma de peso corporal, 20 mg por quilograma ou 40 mg por quilograma, e 4 dos 25 participantes receberam uma segunda dose (20 mg por quilograma, independentemente da dose inicial).

Nenhuma preocupação de segurança foi identificada. Observou-se aumentos dependentes da dose nas concentrações séricas de CIS43LS, com meia-vida de 56 dias. Nenhum dos 9 participantes que receberam CIS43LS, em comparação com 5 dos 6 participantes de controle que não receberam CIS43LS, teve parasitemia de acordo com o teste de reação em cadeia da polimerase por 21 dias após a infecção4 por malária humana controlada.

Dois participantes que receberam 40 mg por quilograma de CIS43LS e foram submetidos à infecção4 por malária humana controlada aproximadamente 36 semanas depois não tinham parasitemia, com concentrações séricas de CIS43LS de 46 e 57 μg por mililitro no momento da infecção4 por malária humana controlada.

O estudo concluiu que, entre os adultos que nunca tiveram infecção4 com malária ou vacinação, a administração do anticorpo3 monoclonal de ação prolongada CIS43LS preveniu a malária após infecção4 controlada.

Saiba mais sobre "Malária", "Antígenos7 e anticorpos8" e "Infecções9 oportunistas".

 

Fonte: The New England Journal of Medicine, publicação em 26 de agosto de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Anticorpo monoclonal CIS43LS preveniu a infecção por malária. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1400160/anticorpo-monoclonal-cis43ls-preveniu-a-infeccao-por-malaria.htm>. Acesso em: 20 set. 2021.

Complementos

1 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
4 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
6 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
7 Antígenos: 1. Partículas ou moléculas capazes de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substâncias que, introduzidas no organismo, provocam a formação de anticorpo.
8 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
9 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!