Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo sugere associação de deficiência visual com declínio cognitivo em vários domínios em idosos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

As associações entre deficiências cognitivas visuais e globais foram documentadas anteriormente, mas há pesquisas limitadas que examinam essas associações entre várias medidas de visão1 em domínios cognitivos2.

O objetivo deste estudo, publicado no JAMA Network Open, foi examinar a associação entre deficiência visual e cognitiva3 em vários domínios cognitivos2 usando várias medidas de visão1.

Leia sobre "Deficiência visual", "Distúrbio neurocognitivo" e "Sinais4 e sintomas5 oftálmicos que precisam de avaliação médica".

Este estudo de coorte6 longitudinal utilizou dados do Baltimore Longitudinal Study of Aging de 2003 a 2019. Os participantes do estudo atual tinham idades entre 60 e 94 anos, com medidas de visão1 e cognitivas. A análise dos dados foi realizada de maio de 2020 a maio de 2021.

A função cognitiva3 foi medida em vários domínios, incluindo linguagem, memória, atenção, função executiva7 e capacidade visuoespacial. As pontuações dos domínios cognitivos2 foram calculadas como a média das pontuações dos testes cognitivos2 padronizados dentro de cada domínio. A função visual foi avaliada por meio de medidas de acuidade visual8, sensibilidade ao contraste e acuidade estereoscópica no início do estudo.

As análises incluíram 1.202 participantes (610 mulheres [50,8%]; 853 participantes brancos [71,0%]) com uma idade média (DP) de 71,1 (8,6) anos que foram acompanhados por uma média (DP) de 6,9 ​​(4,7) anos.

A pior acuidade visual8 (por 0,1 logaritmo do ângulo mínimo de resolução) no início do estudo foi associada a maiores declínios nas pontuações dos domínios de linguagem (β, -0,0035; IC 95%, -0,007 a -0,001) e memória (β, -0,0052; IC 95%, -0,010 a -0,001).

A pior sensibilidade ao contraste (por 0,1 unidades de log) na linha de base foi associada a maiores declínios nas pontuações dos domínios de linguagem (β, -0,010; IC 95%, -0,014 a -0,006), memória (β, -0,009; IC 95%, -0,015 a -0,003), atenção (β, -0,010; IC 95%, -0,017 a -0,003) e capacidade visuoespacial (β, -0,010; IC 95%, -0,017 a -0,002).

Durante o período de acompanhamento, as quedas nos testes de linguagem (β, -0,019; IC 95%, -0,034 a -0,005) e memória (β, -0,032; IC 95%, -0,051 a -0,012) foram significativamente maiores para participantes com acuidade estereoscópica prejudicada em comparação com aqueles sem tal deficiência.

Assim, neste estudo de coorte6 longitudinal, pior acuidade visual8 e acuidade estereoscópica prejudicada foram associados a maiores declínios nas pontuações dos domínios de linguagem e de memória, enquanto a pior sensibilidade ao contraste foi associada a declínios nas pontuações dos domínios de linguagem, memória, atenção e capacidade visuoespacial.

Esses achados sugerem que a associação entre visão1 e cognição9 difere entre acuidade visual8, sensibilidade ao contraste e acuidade estereoscópica e que os padrões de declínio cognitivo10 podem diferir por tipo de deficiência visual, com sensibilidade ao contraste prejudicada sendo associada a declínios em mais domínios cognitivos2 do que outras medidas do funcionamento visual.

Veja também sobre "Quando a perda de memória não é normal", "Como é a miopia11", "Daltonismo12" e "Astigmatismo13".

 

Fonte: JAMA Network Open, publicação em 16 de julho de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Estudo sugere associação de deficiência visual com declínio cognitivo em vários domínios em idosos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1398830/estudo-sugere-associacao-de-deficiencia-visual-com-declinio-cognitivo-em-varios-dominios-em-idosos.htm>. Acesso em: 26 out. 2021.

Complementos

1 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
2 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
3 Cognitiva: 1. Relativa ao conhecimento, à cognição. 2. Relativa ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
4 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
7 Função executiva: Também conhecida como controle cognitivo ou sistema supervisor atencional é um conceito neuropsicológico que se aplica ao processo cognitivo responsável pelo planejamento e execução de atividades, que podem incluir, por exemplo, a iniciação de tarefas, memória de trabalho, atenção sustentada e inibição de impulsos.
8 Acuidade visual: Grau de aptidão do olho para discriminar os detalhes espaciais, ou seja, a capacidade de perceber a forma e o contorno dos objetos.
9 Cognição: É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento, percepção, classificação, reconhecimento e compreensão para o julgamento através do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas.
10 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
11 Miopia: Incapacidade para ver de forma clara objetos que se encontram distantes do olho.Origina-se de uma alteração dos meios de refração do olho, alteração esta que pode ser corrigida com o uso de lentes especiais, e mais recentemente com o uso de cirurgia a laser.
12 Daltonismo: Alteração congênita da visão de certas cores, especialmente para distinguir o vermelho e o verde.
13 Astigmatismo: Defeito de curvatura nas superfícies de refração do olho que produz transtornos de acuidade visual.
Gostou do artigo? Compartilhe!